domingo, setembro 20

Síntese da felicidade


Desejo a você...

Fruto do mato

Cheiro de jardim

Namoro no portão

Domingo sem chuva

Segunda sem mau humor

Sábado com seu amor

Filme do Carlitos

Chope com amigos

Crônica de Rubem Braga

Viver sem inimigos

Filme antigo na TV

Ter uma pessoa especial

E que ela goste de você

Música de Tom com letra de Chico

Frango caipira em pensão do interior

Ouvir uma palavra amável

Ter uma surpresa agradável

Ver a Banda passar

Noite de lua Cheia

Rever uma velha amizade

Ter fé em Deus

Não Ter que ouvir a palavra não

Nem nunca, nem jamais e adeus.

Rir como criança

Ouvir canto de passarinho

Sarar de resfriado

Escrever um poema de Amor

Que nunca será rasgado

Formar um par ideal

Tomar banho de cachoeira

Pegar um bronzeado legal

Aprender um nova canção

Esperar alguém na estação

Queijo com goiabada

Pôr-do-Sol na roça

Uma festa

Um violão

Uma seresta

Recordar um amor antigo

Ter um ombro sempre amigo

Bater palmas de alegria

Uma tarde amena

Calçar um velho chinelo

Sentar numa velha poltrona

Tocar violão para alguém

Ouvir a chuva no telhado

Vinho branco

Bolero de Ravel

E muito carinho meu.

Carlos Drummond de Andrade
[para a querida Xana, com um um xi-coração]

8 Comments:

Claudia Sousa Dias said...

todas as coisas boas da vida para ti também!


obrigada.


csd

PAS[Ç]SOS said...

A felicidade não é igual para todas. Nem todos gostamos dos mesmos gomos da dita. Talvez CDA aqui os tenha conseguir reunir todos. Ou quase... para mim vou guardar alguns.

Anónimo said...

Querida Marta,
tão bem escolhido! ;)
É mesmo isso que eu quero da vida: Plenitude. Feita de coisas simples, doces e boas! Só falta uma boa conversa, sem olhar para o relógio.
Um beijo doce e um abraço longo. Com muito carinho meu. :)
Xana

Zaclis Veiga said...

Se é para a Xana que eu conheço, também quero dedicar Drummond e mais a realização de todos os seus sonhos e desejos
E muitos beijos para ti, querida Marta.
:)

Leonardo B. said...

Ah, Cara Amiga

com as "letrinhas" do Drummond de Andrade, já os auriculos andam aos solavancos de outra forma!

Um imenso abraço

Leonardo B.

Anónimo said...

Obrigada, querida Zaclis!
Beijo:)

mfc said...

Não se pode deixar de sorrir...

cduxa said...

Maravilhoso poema do Carlos Drummond e gesto adorável.