segunda-feira, setembro 28

da inveja


1. Tranquilize-se: não é uma característica marcadamente portuguesa. É mais...marcadamente humana.

2. É um dos sete pecados capitais

3.O neurocientista japonês Hidehiko Takahashi, do Instituto Nacional de Ciência Radiológica, Tóquio, descobriu onde se situam, no cérebro, os neurónios associados à inveja: na região do córtex anterior. Curiosamente, o mesmo local onde se processa a dor física.

4. Os psicanalistas distinguem dois tipos de inveja - construtiva e destrutiva - e dentro da destrutiva dois subtipos: depressiva e hostil.

5.Entre sites e blogs sobre o tema, gostámos especialmente da Inveja do Biquíni, da Catalina, "o alter ego de uma menina muito comilona" conta a sua "saga rumo a um bikini bem pequenininho que me assombra há muito tempo".

6. A revista brasileira "Isto é" perguntou em edição recente "porque há pessoas muito invejosas e outras que passam a vida quase sem sentir essa emoção?". A psicóloga Sueli Damergian, da Universidade de São Paulo (USP), respondeu:"A inveja é sempre fruto da admiração. Se ela ficar restrita a isso, pode funcionar como impulso para o desenvolvimento. Mas "se o impulso destrutivo for muito forte, o invejoso passa a viver a vida do outro e isso pode ser danoso tanto para ele quanto para o invejado".

7. Foi estudada pela psicanalista austríaca Melanie Klein (1882 - 1960) , que no livro "Inveja e Gratidão" conta a história de um homem que invejava profundamente o seu vizinho. Um dia encontrou uma fada que lhe deu a oportunidade de pedir um desejo. Havia apenas um pequeno senão: o desejo também seria concedido ao invejado vizinho, e em dobro. O invejoso não hesitou: pediu à fada que lhe arrancasse um olho...


in Revista Nós Invejosos, nº 21

9 Comments:

Claudia Sousa Dias said...

ai que horror...

Não desejo nada que me invejem, nem positiova e muito menos negativamente.

acho que já fui alvo dos dois tipos. do segundo, sem dúvida.

Mas prefiro, de longe, que me amem.


csd

Funes, o memorioso said...

Credo, Cláudia Sousa Dias (as minhas sinceras desculpas por, da última vez, lhe ter chamado Clara)! Ser amado é horrível. Como ensinava Maquiavel, bom mesmo é ser temido.
Quanto à inveja, penso de facto que há que distinguir entre a positiva (a que eu também chamaria ambição ou, na sua forma extrema, ganância) e a negativa ou pura.
A ambição (inveja positiva) faz com que eu, vendo que o meu vizinho tem uma coisa, também queira uma coisa igual ou superior.
A inveja negativa faz com que eu não podendo ter uma coisa, faça tudo para que o meu vizinho também a não tenha.
Nunca fui invejado nem nunca invejei. Rezo todos os dias para que, se algum dia sentir inveja de alguém, seja do tipo negativo.

Claudia Sousa Dias said...

o professor Funes não sabe o que é bom...(eheh...!)

ou melhor: sabe sim senhor!

O facto de nunca ter sentido inveja nem sido invejado é a felicidade suprema.

neste momento morro de inveja de si!

No sentido positiovo é claro.

Também não poderia ser de outra forma

:-))))))

CSD

Claudia Sousa Dias said...

Positivo.

já é a segunda vez que incorro na mesma gralha hoje.

são muito bonitas, sobretudo as de bico vermelho, mas a estas não acho mesmo piada.

e o pior é que por pouco não escrevi vermelho com "B". Uma gralha à moda do Puôrto, carago...

CSD

jP said...

"onde se situam, no cérebro, os neurónios associados à inveja: na região do córtex anterior. Curiosamente, o mesmo local onde se processa a dor física."

sempre há alguma razão científica na expressão "dor de cotovelo" :)


cumprimentos
parabéns pelo blog...

hasaliah said...

O melhor decerto é ter sentimentos,,,,
Que nunca nos privem deles... mas, tudo qb. Apesar de eu saber que o coração e a razão não trazem as medidas, para dosear os sentimentos e as emoções.

Podemos sim,,, amar a tudo pouco, sofrendo pouco, dando pouco e recebendo pouco....

ou,

odiar muito, invejar muito, sofrer muito, entregar tudo e amar demais....

Que dose quereria, se pudesse escolher? tudo em dobro ou tudo pela metade??????????'

A mim não me perguntaram,,, mas eu gosto de me manifestar antes de saber dos outros,,,, QUERIA TUDO EM DOBRO......

TERESA SANTOS said...

O amigo Funes é muito requintado (e exigente!) no que respeita à invejinha.
Diz-me só uma coisa: na inveja negativa quais os métodos que utilizas para que o pobrezito do teu vizinho não tenha a tal "coisa"? Também lhe tiras um olho?!

sonja valentina said...

ó marta... só pela "inveja do bikini" da Kat já valeu a pena! =))
de facto é de invejar quem consegue escrever assim sobre a sua tormenta. tiro-lhe o meu chapéu!!!!

JOSÉ RIBEIRO MARTO said...

de uma outra prespectiva , Alberoni apresenta a inveja como um sentimento subversivo na medida em que questiona e põe em causa a formas ilegitimas com que determinado grupo ou indíviduo conseguiu almejar determinados bens, benesses .... São critérios sociais que estão em causa !
Acho interessante esta prespectiva ::: Não dá que pensar ?