segunda-feira, setembro 28

da inveja


1. Tranquilize-se: não é uma característica marcadamente portuguesa. É mais...marcadamente humana.

2. É um dos sete pecados capitais

3.O neurocientista japonês Hidehiko Takahashi, do Instituto Nacional de Ciência Radiológica, Tóquio, descobriu onde se situam, no cérebro, os neurónios associados à inveja: na região do córtex anterior. Curiosamente, o mesmo local onde se processa a dor física.

4. Os psicanalistas distinguem dois tipos de inveja - construtiva e destrutiva - e dentro da destrutiva dois subtipos: depressiva e hostil.

5.Entre sites e blogs sobre o tema, gostámos especialmente da Inveja do Biquíni, da Catalina, "o alter ego de uma menina muito comilona" conta a sua "saga rumo a um bikini bem pequenininho que me assombra há muito tempo".

6. A revista brasileira "Isto é" perguntou em edição recente "porque há pessoas muito invejosas e outras que passam a vida quase sem sentir essa emoção?". A psicóloga Sueli Damergian, da Universidade de São Paulo (USP), respondeu:"A inveja é sempre fruto da admiração. Se ela ficar restrita a isso, pode funcionar como impulso para o desenvolvimento. Mas "se o impulso destrutivo for muito forte, o invejoso passa a viver a vida do outro e isso pode ser danoso tanto para ele quanto para o invejado".

7. Foi estudada pela psicanalista austríaca Melanie Klein (1882 - 1960) , que no livro "Inveja e Gratidão" conta a história de um homem que invejava profundamente o seu vizinho. Um dia encontrou uma fada que lhe deu a oportunidade de pedir um desejo. Havia apenas um pequeno senão: o desejo também seria concedido ao invejado vizinho, e em dobro. O invejoso não hesitou: pediu à fada que lhe arrancasse um olho...


in Revista Nós Invejosos, nº 21

9 Comments:

Claudia Sousa Dias said...

ai que horror...

Não desejo nada que me invejem, nem positiova e muito menos negativamente.

acho que já fui alvo dos dois tipos. do segundo, sem dúvida.

Mas prefiro, de longe, que me amem.


csd

António Conceição said...

Credo, Cláudia Sousa Dias (as minhas sinceras desculpas por, da última vez, lhe ter chamado Clara)! Ser amado é horrível. Como ensinava Maquiavel, bom mesmo é ser temido.
Quanto à inveja, penso de facto que há que distinguir entre a positiva (a que eu também chamaria ambição ou, na sua forma extrema, ganância) e a negativa ou pura.
A ambição (inveja positiva) faz com que eu, vendo que o meu vizinho tem uma coisa, também queira uma coisa igual ou superior.
A inveja negativa faz com que eu não podendo ter uma coisa, faça tudo para que o meu vizinho também a não tenha.
Nunca fui invejado nem nunca invejei. Rezo todos os dias para que, se algum dia sentir inveja de alguém, seja do tipo negativo.

Claudia Sousa Dias said...

o professor Funes não sabe o que é bom...(eheh...!)

ou melhor: sabe sim senhor!

O facto de nunca ter sentido inveja nem sido invejado é a felicidade suprema.

neste momento morro de inveja de si!

No sentido positiovo é claro.

Também não poderia ser de outra forma

:-))))))

CSD

Claudia Sousa Dias said...

Positivo.

já é a segunda vez que incorro na mesma gralha hoje.

são muito bonitas, sobretudo as de bico vermelho, mas a estas não acho mesmo piada.

e o pior é que por pouco não escrevi vermelho com "B". Uma gralha à moda do Puôrto, carago...

CSD

joao amorim said...

"onde se situam, no cérebro, os neurónios associados à inveja: na região do córtex anterior. Curiosamente, o mesmo local onde se processa a dor física."

sempre há alguma razão científica na expressão "dor de cotovelo" :)


cumprimentos
parabéns pelo blog...

Voar sem Hasas said...

O melhor decerto é ter sentimentos,,,,
Que nunca nos privem deles... mas, tudo qb. Apesar de eu saber que o coração e a razão não trazem as medidas, para dosear os sentimentos e as emoções.

Podemos sim,,, amar a tudo pouco, sofrendo pouco, dando pouco e recebendo pouco....

ou,

odiar muito, invejar muito, sofrer muito, entregar tudo e amar demais....

Que dose quereria, se pudesse escolher? tudo em dobro ou tudo pela metade??????????'

A mim não me perguntaram,,, mas eu gosto de me manifestar antes de saber dos outros,,,, QUERIA TUDO EM DOBRO......

Teresa Santos said...

O amigo Funes é muito requintado (e exigente!) no que respeita à invejinha.
Diz-me só uma coisa: na inveja negativa quais os métodos que utilizas para que o pobrezito do teu vizinho não tenha a tal "coisa"? Também lhe tiras um olho?!

sonja valentina said...

ó marta... só pela "inveja do bikini" da Kat já valeu a pena! =))
de facto é de invejar quem consegue escrever assim sobre a sua tormenta. tiro-lhe o meu chapéu!!!!

JOSÉ RIBEIRO MARTO said...

de uma outra prespectiva , Alberoni apresenta a inveja como um sentimento subversivo na medida em que questiona e põe em causa a formas ilegitimas com que determinado grupo ou indíviduo conseguiu almejar determinados bens, benesses .... São critérios sociais que estão em causa !
Acho interessante esta prespectiva ::: Não dá que pensar ?