sábado, maio 2

Metamorfose


Para a minha alma eu queria uma torre como esta,

assim alta,

assim de névoa acompanhando o rio.


Estou tão longe da margem que as pessoas passam

e as luzes se refletem na água.


E, contudo, a margem não pertence ao rio

nem o rio está em mim como a torre estaria

se eu a soubesse ter...


uma luz desce o rio

gente passa e não sabe


que eu quero uma torre tão alta que as aves não passem


as nuvens não passem

tão alta tão alta


que a solidão possa tornar-se humana.



Jorge de Sena in Coroa da Terra, pag. 96, Publicações Dom Quixote
imagem: Duarte Monteiro

11 Comments:

PAS[Ç]SOS said...

Fantástica a imagem conseguida para ilustrar o poema de Jorge de Sena. Confesso que comecei a ler 'de cima' sem procurar saber quem era o autor. E conforme fui lendo, fui acreditando que as palavras eram suas e escritas a partir da imagem. E acreditando serem mais umas das suas palavras sucedâneas, em qualidade, a tantas outras que por aqui vai lavrando. Que me perdoe o Jorge de Sena por uma certa desilusão que me ficou quando percebi que as palavras eram dele. E sua a escolha da fotografia. Maravilhosas indubitavelmente! Seja quem for o seu autor.

Marta said...

Passos: agora até corei! Quando eu estiver com a minha auto-estima no tapete, venho ler certos comentários deste blog, para me recompor :) obrigada pela sua amabilidade!
Jorge de Sena - um dos meus escritores de eleição - que nos perdoe! :) :) :) :) E a fotografia - que também me disse - é da minha cidade - a mais bela do mundo!!! depois... é a sua ;) Pronto! ...não vá pensar que os elogios desmedidos às palavras me fazer mudar de ideias!!! :) :)

João Rasteiro said...

Sem dúvida um dos grandes nomes da literatura portuguesa. Sena, não tão grande como julgava ser, mas, maior que o valor que Portugal lhe deu/dá.
Bjs.

João Rasteiro

vaandando said...

um dos poemas muito bonitos de Jorge de Sena, obrigado pela partilha inesperada, Marta e pela gargalhada de bom humor relativa á sua belíssima cidade !
Abraço
_______ JRMARTO

Marta said...

Sinais de Fogo, João, é um dos livros que mais gostei de ler e que mais me marcou.
beijo

PAS[Ç]SOS said...

Marta, eu não escrevo elogios. Escrevo o que sinto como verdade. E por ter identificado a foto como sendo da cidade de que é, mais me pareceu que as palavras fossem suas. Sei onde é e sei a que distância está da margem do Douro ali para baixo à direita. Por tudo isso as palavras me fizeram tanto sentido como se fossem suas. O Jorge de Sena terá de perdoar a minha ignorância, mas a Marta não tem nada que agradecer nem amabilidade, nem elogios desmedidos pois nenhum deles foram intenção das minhas palavras. Quanto às cidades... é assunto já discutido.

Marta said...

gargalhada, JRMarto????? não percebi :) :) :)
abraço

Anónimo said...

Belo, como a nossa cidade :)

beijinho,
Cristina M.

Ana said...

O Porto, Marta, é a cidade do meu coração. Onde vivi, entre os seis e os 21 anos, aquela fatia de vida que perdura na nossa memória, enquanto a não perdemos.

Não podias ter escolhido melhor a imagem para palavras tão bonitas.

Beijinho

Sight Xperience said...

Jorge de Sena e toda a sua força...Foto impecável, conjunto perfeito!
Gostei de aqui tropeçar...fui ficando... O seu blog tem um excelente conteudo. Parabéns...

Zaclis Veiga said...

Lindos, texto e foto. Gosto muito desse cantinho da Torre dos Clérigos dessa minha cidade (minha para sempre)
Obrigada por me apresentar Jorge de Sena. Beijos