sábado, maio 16

A vida nunca é uma via rápida


Mais uma sessão de home cinema! Sofá e manta! Que volta a fazer frio! Chama-se Elizabethtown. E como o meu querido Miguel escreveu um dia «é um filme acima do céu porque mostra, de uma forma absolutamente tocante, que a vida nunca é uma via rápida. É feita de estradas secundárias, caminhos imprevistos, apeadeiros...» E é o que me está mesmo a apetecer. Com chá e bolachas. E tudo muito quieto. E a luz apagada. E mais nada. Que o filme vai começar.

7 Comments:

SILÊNCIO CULPADO said...

Marta

Dito desta forma não vou deixar de ver o Elizabethtown.
Não, a vida nunca é uma via rápida e é na escolha das estradas secundárias que as pessoas se revelam.


Abraço

Dalaila said...

Tem a melhor conversa de telefone... beijão linda

Funes, o memorioso said...

Era uma vez um senhor que tinha um filho de dois meses. Meteu-se com ele e com a mulher no carro e foram passear. Na auto-estrada, quando ia a 200 à hora, ele distraiu-se a mudar o CD do leitor e embateu contra o pilar de uma ponte. O carro desfez-se todo e morreram os três.
- Ai que para o meu netinho a vida não foi uma via rápida. Foi uma auto-estrada - chorava a avó no cemitério no dia do funeral.
A metáfora é, em 99,99% dos casos, uma figura de estilo a evitar, porque só génios verdadeiros a sabem fazer. Atribuo, de resto, a irreversível decadência cultural em que a França se precipitou, por exemplo, à confusão recorrente nesse país entre o uso de metáforas infelizes e a actividade pensante que se chama Filosofia.
"A vida não é uma via rápida" é uma das piores metáforas que já ouvi.

Su said...

...ando num beco sem saída....ops


jocas maradas

Claudia Sousa Dias said...

hum... cheira-me a muito stress...

eu tb vou começar na semana que vem num novo trabalho...


csd

adevidacomedia said...

O filme é lindo. A metáfora é feia. Aqui fica o acto de contrição. Obrigado, Funes, pela douta força. E por me fazeres ver as estradas secundárias...(gaita, mais uma metáfora reles!)Miguel

Zaclis Veiga said...

1. O filme é maravilhoso. Ponto.
2. Adoro pensar que pode haver surpresas a cada curva dessa minha vidinha rodante.