domingo, maio 3

às vezes


Às vezes tenho medo de esquecer tudo:

a casa onde nasci, o recreio

da escola, essas vozes que lembram um copo de água

no verão.

Jorge Gomes Miranda in Anos 90 e Agora, pag.99, Quasi, 2001
imagem daqui

8 Comments:

Whesley Fagliari dos Santos said...

Amiga Marta,

Por favor, passe quando puder lá no Sofia e retire algo que reservei para ti, com carinho e afeto!

Ah, lindo este seu espaço... Sempre!

Luz e paz!

Com apreço,
Whesley

Claudia Sousa Dias said...

a...mas eu sei que TU nunca esquecerás!

csd

Maria Emília said...

Marta,
Penso que nada se esquece. Fica tudo bem registado na alma. As vezes há coisas que não lembramos de propósito porque bloqueámos um arquivo de recordações de um tempo que nos fez sofrer ou que por qualquer tazão não queremos recordar. Mas os acontecimentos estão lá.
Um beijinho,
Maria Emília

jg said...

Não descola da minha cabeça a ideia de que este blog faria mais sentido chamar-se " A vida em Marta"

Gi said...

Pois eu tive que "encafuar" a minha infância num canto esconso do meu sótão para poder continuar a viver e, agora, tenho imensa dificuldade em lembrar-me de certos detalhes que me eram tão caros.

Marta said...

JG: Em troca da angustia causada por esse comentário e que provavelmente me vai tirar o sono, "exijo" argumentos que sustentem esta inquietação que me ficou na alma! E agora? Isso não se faz! :) Não se dizem assim coisas tão sérias. Um "titalo" é um "titalo", JG, não é um poema :)

Su said...

tb eu, tb eu...........

jocas maradas menina linda

vaandando said...

gosto muito de jorge gomes de miranda , um pouco ao acaso tenho vindo a adquirir os primeiros livros do poeta . Há pouco tempo encontrei o ´» o que nos protege»
Bem haja poe trazê-lo aqui...
Grata a leitura do seu Poema , de facto há muita vida em Marta!
Abraço
________ JRMARTO