quarta-feira, março 25

...se é um homem, é sempre sobre a condição humana...

«Toda a literatura é sobre o amor. Mas se é um homem, é sempre sobre a condição humana».
Quem disse? Esta mulher inteligente, da fotografia. Chama-se Patrícia Reis. É escritora. E outras coisas. Como ser mãe. De dois rapazes. [e alguns: sim, Marta, e novidades? e eu, parva, que vivo num planeta tantas vezes distante da Terra, não sabia! que há ignorâncias que têm de ser assumidas. mas nem me ocorria não o assumir, ainda mais, tratando-se desta senhora que não tem papas na língua, nem mas, nem meio mas] Vou começar a ler, NO Silêncio de Deus, hoje. Daqui a pouco. O seu último livro. Para já, para já, asseguro-vos que gostei imenso de saber que escreve quando lhe dá na real gana. Sem rituais pormenorizados. E não tem nenhuma mão invisível [não é a do Adam Smith, não] como a de alguns escritores que, por acaso, até lhes amo as palvaras [mas eu também, quando GOSTO, gosto sempre. exactamente como o slogan dos gelados da Olá. Gosto no verão, no inverno, quando é genial e quando é uma merda]. Relativamente à Patrícia Reis estou curiosa. Íssima. É que já me aconteceu de ver um filme e ler o livro, depois. E já me aconteceu - muitas mais vezes, até - de ler o livro e, depois ver o filme. E também, raras vezes, me aconteceu de ler os livros e ir a correr ouvir os escritores. Mas nunca me tinha acontecido de ouvir o escritor, sem lhe ler nenhum livro! E foi desta. Assim, porque sim. E gostei tanto de a ouvir, que lhe ando a comprar os livros todos. [Para me redimir! É que eu acredito na salvação. De certa ignorância...] Até os infantis. [que eu não tenho filhos, mas tenho seis sobrinhos 3 - 7 anos. lindos!]
Mas encantou-me, ouvi-la! Tem uma forma de dizer que o seu olhar e os seus gestos, aqui e ali, sublinham. Como que a confirmar. Eu acredito mesmo nisto que digo. Podem apostar!
Como eu faço, quando acredito mesmo no que leio. Nesta e naquela página.
Só que com um lápis.
[E, desse lado, quem já leu, não me conte nada. Por favor. Quem não o fez, vamos ver quem acaba primeiro! Quem não comprou...hummm... Na livraria mais próxima s.f.f]
imagem: Marisa Cardoso [devidamente roubada ao Devida Comédia]

6 Comments:

Dalaila said...

Boas leituras, já sei que se gostares, e como sabes, adoro os teus gostos de livros, não deixes no solêncio dos deuses, comentários ao livro.

beijinhos e boa noite

Funes, o memorioso said...

Primas: A maior parte da literatura não é sobre o amor. É sobre o ódio;
Sigas: A senhora tem uma série de sapatos bonitos ao lado dela e aparece calçada com uns chaparros de vómito (dignos daquele tolinho do Boavista que usa sempre um chapéu de xadrez), como é que quer que acreditemos naquilo que escreve?

Claudia Sousa Dias said...

muito bem roubado, sim senhor.


só o teu amigo funes para me fazer rir num dia como o de hoje.

é por essas e por outras que a patricia não gosta de sair em revistas...e faz ela mmuito bem.


csd

Marta said...

Sim, Dalaila, darei notícias sobre o livro! bjo

Senhor Professor Funes: eu sabia!!!!
tão certinho...como a coisa mais certinha, sei lá!
Mas porque não acerto eu, assim, no totoloto! [Porque não jogo. ok!]

Primas: claro que é sobre o AMOR! o ódio anda a reboque, ou a um passo, ou como quiser. Mas estou com a Patrícia Reis. Até à raíz do cabelo!

Sigas: pois esta, não lha tirava nem a saca-rolhas!
Enfim...vá beber umbongo ou caprisone e depois falamos sobre a influência dos sapatos na escrita das pessoas. ...adoraria ver o que calça, para escrever assim!

a minha opinião? eu sei que não perguntou. mas eu digo: a fotografia está linda! original!

CSD: ri-te à vontade! mas não chames meu amigo...ao Senhor Professor Funes! Eu tenho uma imensurável admiração por ele, é certo, à custa de raras tiradas brilhantes, genuínas, fracturantes... e, por Borges, sempre!
Mas amigo? Como teria eu de chamar aos meus inimigos - dizes-me?

Su said...

confesso..........vou conhecê-la;)


jocas maradas

Anónimo said...

E eu também vou fazer como a Su! De resto hoje já comprarei o livro, para ver se te ganho na leitura. Mas promete, promete...
bjo e obg. pela sugestão

Cristina M.