terça-feira, março 10

Claro que se discutem...




Dizem por aí que os gostos não se discutem! Eu acredito que se podem discutir! Claro que sim!
Juliette Binoche, esta bela e talentosa senhora, é uma das minhas actrizes de eleição! Recordo que a vi, pela primeira vez, há já uns anos, em a Insustentável Leveza do Ser. Ainda hoje, aquela cena do chapéu de coco, me passa nítida à frente dos olhos! Depois, adorei vê-la na Trilogia das Cores...e por aí fora. A questão é que ouço ao meu querido amigo M, quando o assunto vem à baila, algo que não consigo digerir :) «...sim...mas tem ar de dona de casa». E fico desesperada...Como é possível? Diz-me, querido M... Como é possível? Não quererás refazer a tua opinião? Olha bem! Admira bem! Ou, ao menos, arranja outra comparação!
Assim, apenas ficaríamos a discordar, profundamente, numa outra matéria... :) E sim, estimados visitantes, façam o favor de se pronunciarem!


21 Comments:

mcjaku said...

Olá Marta, um beijo neste teu come back. Há sempre vida em Marta !

Como certamente já não te recordarás, tinha um screen saver da Juliete Binoche no meu PC no escritório do Les Palaces... Parece que foi noutra vida, mas nem 10 anos se passaram.
De modo que já está a ver o que penso dos gostos do teu amigo...

PS Aproveitando teres mencionado a Trilogia das Cores e reportando-me ao comentário do "Prof. Funes", como tu lhe chamas, quero dizer-te (e a ele, claro) que considero a Trilogia das Cores uma das grandes obras de arte do sec XX. Maior ou menor, pouco interessa.
PS2 O teu post e o comentário do Funes fizeram-me googlar por listas dos melhores filmes (ia escrever maiores, só para o Funes) da História: o que me diverti/irritei ao ver algumas listas brasileiras com traduções de títulos que eram um verdadeiro quebra cabeças ! O Chefão, parte 1 era o segundo filme da lista (era o Padrinho), Trens Estritamente Vigiados (Comboios Rigorosamente Vigiados) o que me divertiu mais. Outros, nem ideia...

Marta said...

mcjaku!!!!!!

é uma honrra!

[estou a fazer uma vénia, palavra que sim]

Sabes que agora que falas. recordo, recordo, recordo!

A Trilogia das Cores bem...tenho os filmes e o CD :) SABES onde os vi? Na Casa das Artes, aqui no Porto. Lembreo-me tão bem...

um beijo enorme...gostei mesmo de te ver por aqui! Volta sempre!

Marta said...

E deixa-me dizer que subscrevo o teu ponto de vista relativamente à Trilogia com um absolutamente fabulástico. E sabes que mais: o Prof. Funes, não poderá dizer nada porque aposto - e ganho - o prof. Funes não viu!

E. said...

Pois. Por mim, Juliette até ao fim. Gosto dela. E acho que ter ar de dona de casa, como diz o nosso M, é uma vantagem... para a casa, claro. Gosto daquele sorriso que ela tem de «eles vão, eles vêem, eles partem, eles ficam, eles dão a volta, eles rebolam, eles penduram-se e eu...já fui e já vim e já dei três voltas ao quarteirão...».
Querida Marta, tu percebes-me, certo...?
E.

Funes, o memorioso said...

Descobri, finalmente, aquilo que nos separa. É radical e insuperável!
A Marta gasta inutilmente os seu tempo a pensar e a fazer posts sobre aquilo que gosta. Gosta de Juliete Binoche. Está bem. E depois?
Eu é que faço bem, utilizo o meu precioso tempo para fazer posts sobre aquilo que odeio. Isso, sim, é útil à sociedade. Porque, repare bem: ninguém perde nada se não souber nada da sua amada Juliete Binoche. Ao contrário, a civilização corre sério perigo se as pessoas começarem a ler e a gostar de Torga ou de Sartre.
:-)

mcjaku said...

Funes,
Toda a obra de Sartre terá valido só por ter servido de mote ao Azul da trilogia das cores (a liberdade radical, que alguns confundiram com masoquismo, ou misoginia) e ao contraditório de Raymond Aron

(suspeito que a Marta incluiria aqui qualquer coisa da Simone de Beauvoir...)

Já quanto ao Torga, dizem que o dr. Adolfo Rocha era boa pessoa...

Mas, Funes, é muito mais fácil e cómodo dizer mal. A não ser que o autor esteja morto e enterrado e mesmo assim...

PS Marta: o Funes queria era fotos da Isabel Pantoja em vez da Binoche. Faz-lhe lá esse favor. Ou então uma miss venezuelana qualquer

mcjaku said...

Marta, já me esquecia: claro que vi a trilogia na Casa das Artes - a surpresa de Azul, a estranheza de Branco , a confirmação de Vermelho. Gosto de todos, claro. Tenho um carinho particular pelo Branco, o mais exposto e desamparado, mas acho Vermelho perfeito e o epílogo em que os personagens dos outros filmes são convocados simplesmente prodigioso. Mas Azul tem a Binoche a nada numa piscina azul como nunca vi e a música é fenomenal
Mas, quanto à aposta, não te iludas, o homem vê cinema (cf a conquista de Mme Funes) e, à sucapa, em surdina, há-de reconhecer que a Trilogia é boa. Muito boa

Marta said...

Prof. Funes: xeque-mate!

não me consta - e ainda não li - que tenha feito uma BELA declaração de AMOR, ao vento!

Entende, ou quer que faça um desenho :)

Marta said...

mcjaku, que vontade de largar o trabalho e ir para uma esplanada conversar sobre a Trilogia!!!
Ah, como entendes...isso tudo! Sim, a surpresa do Azul! Tão bem dito, Manel! tão bem sentido!

Ps: quanto às venezuelanas...vou pensar;) Certo certo é mais um poeminha do Torga!!

Marta said...

Eu percebo-te, até em silêncio, minha querida E. :)

mcjaku said...

Marta, o meu tlm ainda é o mesmo e almoço todos os dias. Lanches só com marcação - há dias em que tenho de ir buscar os miudos à(s) escola(s)

Pode parecer frete (aos outros, claro), mas a Trilogia é para mim um caso mesmo especial

candida said...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
candida said...

olha, vou fazer um haiku para o mcjaku:

faz-me um binoche
no meu mac bleu
blanc Rouge


:)

Su said...

...mas q quererá dizer o teu amigo com esse "tem um ar de dona de casa" ?????
--sim, pq tudo se discute:))


qto a JBinoche é imensa......sim


jocas maradas de azul. pois

Anónimo said...

Eu apenas não entendo é como a Marta dá troco ao Funes. Isso posso assegurar-lhe. De si, as suas palavras deixam transparecer uma mulher inteligente, mas depois surge a dúvida quando dá tanta importância a esse senhor!
Será algum recalcamento?
CF

Dalaila said...

Para mim ela é fantástica, no Chocolate sensual onde também ela tinha um vento do norte, nomada, no Paris je táime, bem ao sabor francês, no azul mergulhada na piscina onde só ela aparecia a brilhar no azul.
Essa trilogia, para mim os meus filmes de sempre, a banda sonora, até me irrita de tão boa que é.

Devaneante said...

Bem, ar de dona de casa acho que não, mas que é diferente das outras actrizes isso é! Nas outras há demasiada artificialidade, enquanto que esta expressão me transmite algo de genuíno (é claro que podem ser apenas aparências...).

sonja valentina said...

... pois é a cena do chapeú de coco... A Insustentável Leveza do Ser... o livro marcou-me (tanto que já o li e reli um bom par de vezes...)e o filme também.
excelente recordação.

Marta said...

Vou abrir uma excepção e responder ao anónimo CF. Pois tão arguto comentário, não pode ficar sem resposta. Prof. Funes, chumbou-me num exame 9 vezes! é a minha catarse, no meu blog.

Obrigada.

Funes, o memorioso said...

Passou-se aqui alguma coisa que em escapou. Houve um comentário sobre donas de casa (aparentemente eliminado) e que, porventura, terá motivado um anónimo(a?) a considerar-me um burro, digno do tratamento acima de todos humilhante de "esse senhor".
Reclamo sempre o direito de considerar os outros todos que me rodeiam muito estúpidos e ignorantes. Obviamente, concedo sempre o mesmo direito aos outros. Escrevo este comentário apenas para esclarecer e deixar absolutamente claro que se por aí apareceu algum comentário menos próprio para com a dignidade da Marta, a falar em "donas de casa" e, eventualmente, assinado com o nome de Funes, não fui eu o seu autor. Serei, acaso, um imbecil, serei uma besta, serei, até, um "esse senhor". Nunca sou desleal para com os meus contendores.

adevidacomedia said...

Nestas, verdade seja dita, ela não tem aquele arzinho de dona-de-casa...