domingo, março 29

Beijos de cinema





Em francês, a palavra baiser designa tanto a oferta de uns lábios como o próprio acto de amor. Como se o substantivo fosse apenas o prelúdio ao verbo, mas sem um prelúdio mais casto, mais poético e, por isso mesmo, mais próprio para exprimir os matizes dos sentimentos.

Talvez seja por isso que pintores, romancistas, cineastas sempre se empenharam em pôr em cena o beijo, transformando assim um gesto efémero e frágil numa sumptuosa festa dos sentidos.

Gérald Cahen in História do Beijo, Teorema,1994
[e qual será o mais belo beijo cinematográfico...o mais longo, está neste livro, mas o MAIS... não há minutos que o definam...fica ao critério de cada um :)]

12 Comments:

Objectiva.Mente said...

no meu modesto entender, não existe nenhuma história do beijo, ou melhor dizendo,cada beijo é uma história diferente.

Anónimo said...

Para mim, o mais romântico é o de Casablanca! E o de Titanic, tb foi muito bonito:)

Cristina M.

Claudia Sousa Dias said...

Para mim foi o meu entre mim e uma certa pessoa este fim-de-semana!


:-)


CSD

Anónimo said...

BOM DIA!

SABIAS QUE:

Aproximadamente 97% das mulheres fecham os olhos quando beijam e, apenas 30% dos homens fazem o mesmo.
• O ser humano movimenta 29 músculos, sendo doze dos lábios e dezessete da língua para poder beijar.
• Um beijo estilo “de cinema” pode significar a aplicação de uma pressão de 12 quilos sobre os lábios.
• A longo de sua vida uma pessoa troca em média 24.000 beijos, dos maternais aos apaixonados.
• Quando beijamos alguém, os resíduos da saliva permanecem em nossa boca por três dias e no ato do beijo podem ser repassados 250 vírus e bactérias diferentes.
• O beijo também eleva os batimentos cardíacos, pulando de 70 para 150 batimentos por minuto.
• Durante o beijo de língua o corpo queima 12 calorias e a produção de hormônios aumenta.
• A ciência que se dedica a estudar os beijos é a filematologia, e o medo de beijar é a filemafobia.
• Em diversas tribos africanas, os nativos reverenciavam o chefe beijando o chão que ele pisa.

ABRAÇO,
XPTO

Dalaila said...

que bem que sabem! entre chuva, sol, em casa ao ar livre, um beijo sem contar....

Anónimo said...

"Há palavras que nos beijam como se tivessem boca"
Alexandre O' Neill

mcjaku said...

Melhor que os beijos do cinema são os beijos NO cinema... O falecido Foco, onde as cadeiras se enterravam, era um local muito propício à actividade.
(Não é que seja saudosista, mas veio-me um friozinho ao estômago co certas lembranças...)

jorge c. said...

Marta, há uns tempos, julgo que ainda nem tinha criado o blog e escrevia num blog colectivo, fiz um post sobre O Beijo, pintura, escultura e cinema.
Creio que não há nada mais sublime que o beijo. A estética do beijo é perfeita.

K said...

Um beijo não é só um beijo, é o depositar de todo o carinho, amor e desejo e é tão bom quando tudo se condensa numa só pessoa!

Marta said...

Objectivamente, cada beijo, tem uma história diferente! Concordo!
Mas, palavra, que o livro existe :)

Tinita: sim! esse também!

CSD: a menina hoje está para a brincadeira :)

XPTO: não sabia tanto...obg.

Dalaila: tou contigo :)


Manel: um sorriso para essa tua lembrança :)

Jorge C.: tens de [re] postar esse post! para o lermos!

K: esse romantismo todo - tão lindo - dá cabo de mim! que ando a treinar para durona ;)

e...tantos, tantos beijos a darem letras para um post!

O de Auguste Rodin
O defotógrafo Robert Doisneau
O de Gustav Klimt

etc, etc.

abraço-vos

Eduardo Trindade said...

Lembrei do final de Cinema Paradiso, filme todo bonito.
Quanto aos beijos, ah!... Sem comentários: imaginemos, e por hora basta...

Sole said...

Olá achei seu blog ao acaso, pesquisando imagens de beijo, e estou te seguindo, gostei daqui!

Solange Mazzeto