quinta-feira, março 26

Amar o mar


Guardo o teu olhar inteiro. Não quero nem suporto mais nada.

Mais é demasiado. Para sentir.

Se um dia estiveres não sei onde, estarás tão perto de mim quanto agora. Porque estares ao meu lado sem que sinta a tua mão na minha, é o mais longe e distante que conheço.

Nenhum tempo, se quisermos, desbota o nosso quadro azul.

E o essencial do que te quero dizer já o deixei em ti. E é bom e branco e único.

Porque te amo como quem ama o mar. Não o vejo. Não me pertence.

Posso nunca mais ver o mar. Mas já o senti na pele.

E só por isso vou amá-lo toda a vida.
imagem: autor desconhecido

7 Comments:

K said...

E o mar enamora-se constantemente. Como as suas ondas!

Su said...

jocas maradas de a-mar

Anónimo said...

Martinha, tu frágil, dizes coisas extraordinariamente ...que até me faltam palavras, coisa que a ti graças a deus nunca te faltou e que nunca te faltem.

Um beijo bem grande nessa bochecha linda, maça do rosto, dizes tu :)

sonja valentina said...

perigosos esse amores que nos deixam saudades agarradas à pele...
mais tarde ou mais cedo acabam sempre por "fazer mais estragos" doi que os necessários. cuidado, marta...

Flipmora said...

Senti demasiado na pele e gostei muito...

Dalaila said...

amo o mar. sentime sempre a salgar nas ondas.

Anónimo said...

E eu digo que te amo todas as palavras mesmo as que não dizes, que não escreves, que não sonhas, que não imaginas.