sexta-feira, agosto 21

O Porto é só uma certa maneira...


O Porto é só uma certa maneira de me refugiar na tarde, forrar-me de silêncio e procurar trazer à tona algumas palavras, sem outro fito que não seja o de opor ao corpo espesso destes muros a insurreição do olhar.

O Porto é só esta atenção empenhada em escutar os passos dos velhos, que a certas horas atravessam a rua para passarem os dias no café em frente, os olhos vazios, as lágrimas todas das crianças de São Vítor correndo nos sulcos de sua melancolia.

O Porto é só a pequena praça onde há tantos anos aprendo metodicamente a ser árvore, aproximando-me assim cada vez mais da restolhada matinal dos pardais, esses velhacos que, por muito que se afastem, regressam sempre à minha vida.

Desentendido da cidade, olho na palma da mão os resíduos da juventude, e dessa paixão sem regra deixarei que uma pétala pouse aqui, por ser de cal.

[minha querida amiga, deixo-te este poema de Eugénio de Andrade sobre esta cidade que também é tua. Tão tua, como tu, nossa! A ilustração é de uma fotógrafa que muito admiro...

Feliz aniversário, querida Zaclis:) TUDO de bom hoje e sempre ]


Eugénio de Andrade

imagem: Zaclis Veiga

4 Comments:

Anónimo said...

PARABÉNS Zaclis!!!!
Até qualquer dia num próximo "Jantar Tertúlia" em casa da nossa Amiga...

Zaclis Veiga said...

Obrigada sempre e sempre por me aconchegar em teu amor.
beijos

Claudia Sousa Dias said...

muitos parabéns tn para ti, querida Zaclis. mais uma "leoa" na minha vida!

csd

catarina said...

como eu amo este poema. quase tanto como amo esta cidade...

;)