quinta-feira, agosto 27

Fotobiografia


[Ando mais feliz do que um sino a ler esta fotobiografia de Jorge Luís Borges! Ofereceram-ma há dias e já vai no fim. Ai Argentina, Argentina se me apanho lá! Com o meu roteiro pessoal, revisto e aumentado...Chega Janeiro, a ver se é verdade!]


«Admirado no mundo inteiro, Jorge Luis Borges é, sem sombra de dúvida, um clássico da literatura do Século XX. Os seus textos influenciaram autores das mais diversas culturas; o idioma castelhano não é o mesmo depois da escrita dos seus contos, ensaios e poemas. Esta completa e compacta biografia é um percurso exaustivo pela vida e obra do autor de Ficções. Desde o seu nascimento até à sua morte, vemos Borges na sua intimidade e também no seu tempo: a relação que estabeleceu com os seus contemporâneos e com os seus amigos, as mulheres por quem se apaixonou, a fundamental presença da mãe, a devota leitura dos escritores que o precederam e o marcaram, a sua intervenção (tantas vezes polémica) na política, o amor inalterável pelos livros e pela leitura. Graças à inclusão de uma grande número de cartas, fotos e documentos pessoais até agora desconhecidos e à minúcia da investigação, Alejandro Vaccaro consegue esclarecer muitos acontecimentos que se conheciam pouco ou mal e oferece-nos um relato da vida de Borges que se ajusta àquela que efectivamente viveu. Este livro é uma homenagem ao universo Borges e também ao seu criador, quando se cumprem 20 anos do seu desaparecimento. Em cada uma destas páginas recuperamos os temas e os valores que o cativaram e que defendeu, o seu humor e a sua grandeza, esse espírito ímpar que faz de toda a sua obra um verdadeiro tesouro literário.»
imagem e texto daqui

6 Comments:

Zaclis Veiga said...

Para rimar com o ritmo do sino de tua alegria:
Janeiro, sim, sim, sim!

Na bagagem uma certa edição de um certo jornal. Preciso de notícias! Please!
beijos

BC said...

Argentina, país maravilhoso, se fores aproveita bem.
Beijinhos
Isabel

frank verlag said...

Argentina de las pampas! Pois..

Claudia Sousa Dias said...

uma boa aquisição.

eu estou a tentar conseguir a antologia poética.

bjs


csd

Funes, o memorioso said...

Eu vi logo que a nossa comum amizade por Borges era suspeita.
Borges foi um génio. Ponto. E o termo génio aplica-se na História da Literatura a, no máximo, nove ou dez indivíduos. A obra de Borges é imortal e superior às contingências mesquinhas e circunstanciais da vidinha medíocre e desinteressante (como todas as vidas, sem excepção) do cavalheiro que viveu neste mundo sob o nome Jorge Luís Borges. Como era a casa em que viveu, que café frequentava, se gostava mais de queijo ou de fiambre, se se apaixonou por uma mulher e não foi correspondido ou por muitas mulheres e todas o adoraram, se se apaixonou por um homem, se era (como dizem que era) um ejaculador precoce, nada disso tem relevância absolutamente nenhuma. Não nego que a sua escrita teria sido diferente se a sua vida tivesse sido diferente. Mas hoje a escrita tornou-se independente do homem. É maior do que ele. O homem morreu. A escrita é imortal. Que a Beleza Absoluta se tenha servido da mão de Borges para escrever as "Ficções" e não da mão de margarida Rebelo Pinto, hoje, é um pormenor.

Flávio Gonçalves said...

A pátria de Norberto Ceresole, de Alberto Buela, de Perón e de "Che" Guevara... Ah Argentina...