segunda-feira, agosto 24

Um filme dentro dos olhos


Luís Miguel Oliveira, do Público, dá-lhe 3 estrelas. [só li o ípsilon, depois de ver o filme, mesmo tratando-se da edição de 14 de Agosto] Mas eu, que não sou especialista na matéria, dou-lhe 5! Nem que seja apenas pelos pormenores. Pelo pormenor da barba de três dias e mais do velho Carl, pelo envelhecimento da Ellie, – o que eu gostei da Ellie! – pela forma como, sem palavras, num ápice, percebemos que o casal não pode ter filhos; pelas bolas de ténis no andarilho; pela voz mariquinhas do cão com ar de mau!

« (…) Pelo contrário, e não nos ocorre melhor elogio a UP , é mais adulto – e emocionalmente mais sincero, mais genuíno e mais maduro – do que muita coisa que por aí anda, em “live action”, a ser vendida aos adultos. É o que lhe permite, por exemplo, começar o filme por uma morte.», escreve Luís Miguel Oliveira, acrescentando (…) Mexendo nuns pormenores aqui e ali, não ficávamos longe de um “Gran Torino” em desenho animado. Exagero? Um bocadinho. Mas a justeza e a autenticidade do “trânsito” emocional entre aquelas duas personagens pedem que se exagere um bocadinho».

Exactamente! Ambos têm mau feitio! Mas quebram! Ambos nos fazem rir e chorar...

Uma delícia de história. UP – Altamente é um excelente filme de animação da Pixar. Fui vê-lo com a Francisca, quase 8 anos. Pusemos os óculos 3D e, no fim, ela diz-me: sabes tia, ver um filme 3D, com estes óculos, é como ter o filme dentro dos olhos. Pois é, Francisca, é como ter o filme dentro dos olhos. E ficar com o brilho dos teus, nos meus :)

Sobre o filme, aqui.

4 Comments:

Paulo said...

Reforçou a minha vontade de ver... e o "velho" é tal e qual o Spencer Tracy...

K said...

Gostei muito, é mesmo "altamente" ! Mais ainda quando deixa um brilho nos olhos de uma criança!

Victor Afonso said...

É mais uma obra-prima da Pixar. Também falei de "Up" no meu poiso.

PAS[Ç]SOS said...

Por entre sandes para fazer, toalhas para sacudir, jogos na areia, mergulhos na piscina e duches, não me contive e... vim espreitar. Já previa que apenas para confirmar a vontade de satisfazer os pedidos que diariamente me chegam repetidamente aos ouvidos. E...

ALTAMENTE!!! como é habitual! e ainda mais quando a tia dá a mão aos sobrinhos e lhes liberta a voz herdada... seguramente também de si!