terça-feira, agosto 25

Um sorriso intemporal


Conheci a Sílvia em 1993. Houve anos em que a via todos os dias. Depois deixei de a ver durante alguns anos. Voltei a vê-la, há dias. Está igualzinha!!! Há pessoas que conseguem fintar o tempo! E não sou só eu que acho! Portanto, não é dos meus olhos! Mantém -se bonita, elegante e com aquele sorriso afável que nunca lhe beliscou a postura hiper-profissional. Eu nunca lho disse. Mas sempre a achei imensamente competente e, até nisso, achava que o nosso grupo - os candidatos a antropólogos - tinha sorte!
Agora, sabendo que ela de vez em quando vem aqui espreitar; agora que sei que até arranjamos uma cumplicidade lá pró Alentejo, não resisto a dizer-lhe que foi bom ter-me cruzado com ela! É que quando regressamos "a casa", mesmo que alguma mobília não exista e/ou se encontre fora do lugar, damos conta que ainda pertencemos ali, porque ela está lá! A "nossa Sílvia" dá-nos esse conforto! E quando sorri - juro - não acredito que já se passaram 16 anos!
imagem: Sílvia R.

1 Comment:

Anónimo said...

Gostei tanto de ler este bocadinho, que me apetecia mais!