segunda-feira, agosto 10

O artista

«Uma noite chegou à sua alma o desejo de moldar uma imagem d ´O Prazer Que Nos Habita Um Só Momento. E lançou-se ao mundo para procurar bronze.
Mas todo o bronze da Terra tinha desaparecido; em parte nenhuma deste mundo existia metal desse que pudesse ser encontrado. A não ser o que cobria a imagem d´ O Lamento Que Dura Para Sempre.
Na verdade tinha ele mesmo, com as suas próprias mãos, criado e deposto esta imagem no túmulo da única coisa que alguma vez amara na vida. Na sepultura daquilo que antes de morrer ele mais amara, colocou ele esta imagem do seu criar, para que pudesse servir como um sinal do amor do homem que não morrerá nunca, e um símbolo do lamento do homem que durará para sempre. E em todo o mundo não havia outro bronze excepto o bronze desta imagem.
Ele pegou na imagem que tinha esculpido e colocou-a numa grande fornalha, entregando-a ao fogo.
E a partir do bronze da imagem d´O Lamento Que Dura para Sempre criou uma imagem d ´O Prazer Que nos Habita Um Só Momento.

Oscar Wilde in Poemas em Prosa, p. 25, Cavalo de Ferro, 2002

3 Comments:

Claudia Sousa Dias said...

o primeiro é consequência do último.

mas, na memória dos homens é precisamente este último que se sobrepõe a tudo o resto.

csd

Sonhadoremfulltime said...

Através de uma amiga comum quis o destino que aqui pousasse por breves momentos.

Parabéns Marta pelo magnífico espaço com que nos presenteia.
O tempo não generoso e não a pude apreciar na totalidade, no entanto a promessa fica... voltarei.

JC

Marta said...

Obrigada, JC :)