terça-feira, agosto 4

Esbanjar o que dói

Nós alegres, a revista número 13, que integra a edição do I do passado Sábado, é das que mais gostei de ler! E a abrir lê-se de imediato uma citação de Vergilio Ferreira, escritor que aprecio muitíssimo. Diz assim:

« A alegria do que nos alegrou dura pouco. A dor do que nos doeu dura muito mais. Vê se consegues poupar a alegria e esbanjares o que te dói. Vive aquela intensamente e moderadamente. E atira a outra ao caixote. Talvez chegues a optimista profissional e tenhas uma bela carreira de político.»

É!...esbanjar o que dói, parece-me lindamente!

8 Comments:

João Menéres said...

Enorme Vergílio Ferreira!

Su said...

valeu

jocas maradas

Anónimo said...

Gostei muito, também, especialmente do ALEGRETES :)

Funes, o memorioso said...

Nao fazia ideia que Virgilio Ferreira tinha escrito semelhantes disparates.
A frase que cita noa tem sentido nenhum. Literalmente. Nao e (desculpe estou num cpmutador sem acentos e o "e" significa a terceira pessoa do singular do presente do indicativo do verbo ser) que esteja errada. Isso era toleravel. O problema e que nao significa absolutamente nada. E apenas uma frase sem sentido.

Marta said...

Querido Prof. Funes,
lamento que não esteja num computador sem teclado!

[já disse que estava com saudades suas, hoje?]

Anónimo said...

E eu já estava com saudades dos dois a trocarem esses mimos :)

Funes, o memorioso said...

Marta o seu comentário é genial.
São insondáveis os desígnios da providência. Compreendo agora que - ainda que disso, porventura, não tivesse consciência - Virgílio Ferreira escreveu o disparate que escreveu, para que a Marta o citasse, eu o comentasse e obtivesse a resposta genial que obtive.
Obrigado.

Zaclis Veiga said...

Gosto do Virgílio, do Funes e da Marta a responder o Funes...