quarta-feira, novembro 10

O estranho em relação à vida


O estranho em relação à vida é que, embora sua natureza deva ter sido evidente para todo mundo há centenas de anos, ninguém deixou o registro adequado. As ruas de Londres estão mapeadas; nossas paixões não. O que vamos encontrar ao dobrar essa esquina?

Virginia Woolf in O Quarto de Jacob

5 Comments:

João Menéres said...

Passo.
Não tenho resposta.
E não sei se não será melhor não saber...

Um beijo.

Anónimo said...

Isto é comigo. adoro não ter mapas na paixão. não há lugares certos para encontrar a pessoa certa. Simplesmente acontece.

beijos Graça

PAS[Ç]SOS said...

Primeiro descobrir...
depois mapear!
Perceber quais as esquinas a evitar,
em que praças ficar,
aguardando o sol levantar-se,
que avenidas arriscar,
por se adivinharem longas,
aprazíveis,
sugestivas do infinito
que desejamos abraçar.
Em silêncio,
Observarmos
e percebermos
em que recantos
nos edificámos
e seremos lembrados.

Djabal said...

Estou a ler agora, os diários dela. E, parece, que o mapeamento das paixões ali se iniciou, talvez até de forma instintiva. Fica aqui a recomendação. A companhia de Virgínia é indispensável. Obrigado pela partilha. Haja bem. Beijos.

momentos said...

Pior é quando não se consegue chegar à esquina...por mais passos que se dê, parece que não saimos do mesmo lugar...
O momento pode até ser outro...mas andamos sempre no mesmo!...