domingo, novembro 21

A plateia distrai-me


[Wayne Horvitz]
Eu não percebo nada de música. Apenas ouço. E gosto ou não. Sendo que o meu gostar ou não também tem escala. Ontem, o Guimarães Jazz encerrou com a actuação da New York Composers Orchestra. A direcção foi dividida entre Wayne Horvitz e Robin Holcomb . Sempre tive um fascínio pelo trabalho dos maestros. As entradas e a marcação do tempo em gestos esvoaçantes, às vezes contidos, outras vezes amplos, até ao voo final. Os músicos, entre as pautas e os sinais; as notas de música a produzirem expressões admiráveis. Fiquei na segunda fila da plateia e isso acaba sempre por me distrair. Por isso, gosto de ficar mais afastada. Para não me perder em pormenores. Desta vez, a minha maior atenção recaiu sobre o saxofone prateado - lindo, lindo - saxofone alto, que o músico, no meu melhor ângulo de visão, colocava sobre o joelho esquerdo e, depois, com muita determinação, passava para o lado direito, quando tocava. Andei por ali, pelo rosto de cada músico, pelo brilho de cada instrumento, pelo andamento de cada gesto. Pasmei de admiração com a postura de Robin Holcomb ao piano. Gostei do seu modo de arrumar o longo cabelo loiro, como se fosse um ritual de concentração, antes de cada início. Gostei do ar de químico louco de um dos cinco saxofonistas. Enfim, gostei de mil detalhes que não interessam nada. E sim, gostei da actuação da orquestra. Nada que se compare ao que senti com Charles Lloyd Quartet, mas gostei bastante. Apesar da racionalidade que de vez em quando enchia o palco. E gostei, claro, do chapéu cor de charuto do Senhor Horvitz. Muito mais do que do chapéu preto do trompetista que tocava de olhos ligeiramente cerrados. A plateia distrai-me. Está visto.

10 Comments:

Carlos Azevedo said...

Belo texto, Marta - vou roubar!
Abraço.

quazzimodo said...

"Enfim, gostei de mil detalhes que não interessam nada."

Só revela grande sensibilidade. "E sim", interessam tudo.
;)

Marta said...

obrigada, Carlos :) tens carta verde...tu sabes!

Marta said...

quazzi!!! quanta honra vê-lo aqui!
obrigada :)

sem-se-ver said...

ai marta, marta, que continua a matar-me de inveja...

Marta said...

não fique, sem-se-ver! já acabou o Guimarães Jazz ;)
e quer saber do último filme da Binoche? só ainda está em Lisboa!
a estreia foi a 18, é certo, mas só está na capital. (é o que faz combinar uma ida ao cinema vis sms!!!)
deve chegar aos Algarves ao mesmo tempo do que à Invicta!!! ainda vamos vê-lo ao mesmo tempo :)

MCS said...

Muy bien!
(um dos concertos da minha vida foi o do Charles Lloyd no Palácio de Cristal).

Marta said...

não fui a esse, Marco :(

Marta said...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo said...

Nem eras tu se assim não fosse :)!!!
Cris