sábado, outubro 2

Alentejo

Há muitos anos, mais precisamente metade da minha vida, conheci o Alentejo. Por dentro. Era Outono e eu com ele, nos dias mais velozes. Lembro-me da temperatura do sol, da claridade dos sonhos, do espanto das árvores na berma das estradas.
Do lugar das searas com frutos ao fundo.
De vez em quando, a memória abre-se como uma romã e há um grão que sabe melhor. Um canto onde nunca mais voltei. Onde nunca mais consegui voltar. Sei-lhe o nome, o aroma, a imensidão. Como se na terra não houvesse outro lugar para ser feliz.

imagem: Fernanda Mateus, Alentejo

5 Comments:

Carlos Azevedo said...

O belo Alentejo...

Bípede Falante said...

Infelizmente, não conheci na viagem do ano passado. Faltou tempo. Mas ei de ir!
bj

Anónimo said...

Tão lindo, Martaaaaaaaaaa :)
bjo,
Cris

siceramente said...

O problema é quando o percorres todos os fins de semana... :S

João Menéres said...

Tão bonita a imagem como o teu escrito!

Parabéns (vulgar expressão para tanta beleza junta).

Um beijo.