sexta-feira, outubro 29

Em todas as ruas te encontro

Em todas as ruas te encontro
em todas as ruas te perco
conheço tão bem o teu corpo
sonhei tanto a tua figura
que é de olhos fechados que eu ando
a limitar a tua altura
e bebo a água e sorvo o ar
que te atravessou a cintura
tanto tão perto tão real
que o meu corpo se transfigura
e toca o seu próprio elemento
num corpo que já não é seu
num rio que desapareceu
onde um braço teu me procura

Em todas as ruas te encontro
em todas as ruas te perco

Mário Cesariny

6 Comments:

João Menéres said...

NÃO CONHECIA ESTE !

Muito obrigado.

E as imagens, onde as pescas?

Um beijo.

Marta said...

via google...e fico sempre triste quando não consigo "pescar" o autor. esta, por ex., é belíssima, aos meus olhos, e não imagino quem será o fotógrafo :(


um beijo e boa noite, João.

PAS[Ç]SOS said...

e assim me perco
nesta incessante busca para te encontrar
e me dizeres
que é em mim que te encontras
quando me procuras
para em mim
te perderes!

Marta said...

bons olhos o leiam aqui, Sr. Poeta :)

Sofá Amarelo said...

Encontro e desencontro complementam-se na vida de todos nós...

Sonhos & melodias said...

Marta sempre nos presenteando com poemas belíssimos. Esse não conhecia ainda. Lindo demais!
Bjs