domingo, outubro 31

Eu também não sei

Eu também não sei. Mas ando a descobrir. Está tudo, ainda, muito desarrumado. E o tempo não ajuda. Por isso, fui comprar prateleiras para a alma. E umas caixas, também. Daquelas de cartão. Brancas. Como os livros em branco. A questão, agora, é a que altura coloco as novas prateleiras. É que vai apetecer-me sorrir quando estiver tudo arrumado e, depois, se for na parte superior da alma, lá terei de subir a uma cadeira para espreitar. Só para espreitar. E sorrir.

6 Comments:

João Menéres said...

Caixas brancas. Puras.
Novas prateleiras.
Todos precisamos de ARRUMAR.

Um beijo.

Anónimo said...

Tu dizes tantas coisas de uma forma tão simples e bonita!!!
E foi ao IKEA que foste comprar as prateleiras e as caixas?
Bom Domingo!
bjos
Cris

. intemporal . said...

.

. _______________________________ .

. _______________________________ .

. _______________________________ .

. _______________________________ .

. _______________________________ .

. _______________________________ .

.

. bel.íssimo .

.

. paulo .

.

Anónimo said...

You are so beautiful...in side and out.
xxx

Sininho said...

Só uma pessoa bonita como tu poderia ver poesia num gesto tão banal. Linda! :)

Zaclis Veiga said...

querida,
põe as prateleiras na altura dos olhos, para sempre ter à mão as borboletinhas da alma.
:)
beijos