sexta-feira, setembro 24

A Gaivota - no Teatro Nacional S. João


«O encenador Nuno Cardoso optou por não ter protagonistas: todos os actores contam a história. Até 3 de Outubro, no Porto.

"Medvedenko ama Macha, que ama Tréplev, que ama Nina, que ama Trigórin, que ama Arkádina, amará e deixará de amar Nina, a qual apesar disso continuará a amá-lo. Até o Velho Sórin confessa a sua paixão por Nina. E há também Polina que ama Dorn, sendo esposa de Chamráev." Partindo deste enleado novelo amoroso, Anton Tchekhov criou a peça A Gaivota, que o Teatro Nacional São João (TNSJ), no Porto, estreia hoje, às 21.30, e na qual mais do que as questões de coração das dez personagens, o autor reflecte sobre a prática artística, num texto que exibe uma actualidade estonteante, apesar de escrita em finais do século xix.

Este é um autor muito caro ao encenador Nuno Cardoso, "pela empatia que se sente na sua escrita, pelos defeitos da condição humana". "A Gaivota é muito especial porque consegue sintetizar uma história que tem todas as características do olhar clínico de Tchekhov sobre a condição humana e a sociedade, com uma reflexão absolutamente sintética e elegante sobre o que é o acto de fazer arte", explica Nuno Cardoso, que dirige esta co-produção do Ao Cabo Teatro e TNSJ, e ainda do Centro Cultural Vila Flor, Teatro Aveirense e Teatro Maria Matos, salas onde a peça será também apresentada.

Sem protagonistas - "a equipa de actores é que conta a história, não há papéis principais" -, toda a acção desenrola-se junto ao "lago enfeitiçante", cenário que assume um papel determinante em toda a trama, que releva a ligação do artista com a vida e a ligação do homem com a realidade.

Cristina Carvalhal, João Castro, João Pedro Vaz, Jorge Mota, Maria do Céu Ribeiro, José Eduardo Silva, Lígia Roque, Luís Araújo, Micaela Cardoso e Paulo Freixinho estarão em cena no TNSJ até 3 de Outubro.
Pedro Vasco Oliveira
Fonte: aqui
[eu vou...]

2 Comments:

sem-se-ver said...

depois conte tudo! :)

Marta said...

combinado :)