segunda-feira, setembro 6

Entrevista com Marc Augé

«Marc Augé: [um dos antropólogos que mais gosto de ler] afirma:
"El mundo digital construye la ilusión de conocer todas las respuestas"
El antropólogo francés dio una conferencia sobre identidades virtuales y literatura, en el Malba, en la apertura del Festival de Literatura de Buenos Aires.»

[e eu, tanto tanto, queria tanto estar lá...]

4 Comments:

Anónimo said...

pode ser um lugar comum dum leigo Marta, mas não é ele o responsável pela ideia de "não-lugares"; as "salas de espera" do mundo?
filipe

Marta said...

é sim, filipe.
as salas de espera... e as auto-estradas do mundo.
para MA um lugar tem de ser identitário relacional e histórico. tudo o que não é um não-lugar.
ficaria aqui a noite inteira a falar sobre o assunto...:)
gosto muito de o ler. leio muito MA.

cs said...

Li recentemente, não-lugares, onde se esboça uma Antropologia de excessos, de abundância

Augé defende bem o não lugar como algo quantificável a uma época.

Gosto

Anónimo said...

o conhecimento que tenho é bem superficial... vou aprofundar. obrigado pela sugestão. filipe