quinta-feira, fevereiro 12

«O homem não nasceu para trabalhar...


...mas para criar».


Amanhã é o dia do autor desta frase/"teoria" - [porque há uma fundamentação, uma sustentação...] - Professor Agostinho da Silva! Que eu tanto, tanto, tanto mil vezes tanto admiro! Se há motivos pelos quais eu tenho pena de não ser bem mais velha, um deles é este: não ter sido aluna dele! Como eu gostava de o ter tido como professor ao Professor! Há dias, numas jornadas sobre património, alguém, entre os oradores, afirmou: como diria o meu mestre, Professor Agostinho da Silva...pois é... e eu ruidinha de inveja :)
Mas já fico grata por, aos 16 anos, na biblioteca, ter esbarrado com um livro dele e, desde então, nunca mais deixei de o ler.


Citação retirada daqui.


«Do que você precisa, acima de tudo, é de se não lembrar do que eu lhe disse; nunca pense por mim, pense sempre por você; fique certo de que mais valem todos os erros se forem cometidos segundo o que pensou e decidiu do que todos os acertos, se eles forem meus, não seus. Se o criador o tivesse querido juntar a mim não teríamos talvez dois corpos ou duas cabeças também distintas. Os meus conselhos devem servir para que você se lhes oponha. É possível que depois da oposição venha a pensar o mesmo que eu; mas nessa altura já o pensamento lhe pertence. São meus discípulos, se alguns tenho, os que estão contra mim; porque esses guardaram no fundo da alma a força que verdadeiramente me anima e que mais desejaria transmitir-lhes: a de se não conformarem.»

7 Comments:

Ana said...

Singular ponto de vista.
Só poderia ter sido gerado numa mente superior.

Abraço

Eduardo Trindade said...

Lembrei de uma curiosidade que eu ouvi, certo dia. É que a palavra "trabalho" vem de "tripalium", um antigo instrumento romano de tortura. Ou seja, o trabalho não pode mesmo ser algo nobre na visão de quem o batizou... E Cortella, que é quem fazia o comentário, acrescentou que muito melhor seria se pensássemos em trabalho como sendo a "obra", o legado de cada pessoa.
E não é que tem tudo a ver com essa frase do Agostinho da Silva? Aliás, eu te faria uma correção: creio que foste, sim, aluna dele, afinal mestres são os que nos inspiram, mesmo que nunca tenham estado conosco na mesma sala de aula.

K said...

E eu não podia concordar mais! Aproveito, também, para agradecer a quem um dia me fez esbarrar num livro dele!

PAS[Ç]SOS said...

.................................... que mais dizer? sinto-me tão pequeno nas minhas dezenas de anos de vida que... acho melhor ficar calado nos anos que me restam.

adevidacomedia said...

Esta gostava de levar no peito todos os dias...

mfc said...

Há gente que tem o condão de seixar saudades!

Nefertiti said...

Actualmente ando a ler "Reflexões.