quinta-feira, junho 18

Quando a criança era criança

Para a Mathilda

Quando a criança era criança

caminhava agitando os braços,

Queria que o riacho fosse um rio,

o rio uma torrente,

e esta poça, o mar.


Quando a criança era criança,

não sabia que era uma criança,

tudo lhe parecia ter alma,

e todas as almas eram uma só.


Quando a criança era criança,

não tinha opinião para nada,

não tinha costumes,

sentava-se com as pernas cruzadas,

corria sobre o solo,

tinha um redemoinho no cabelo,

e não saía mal nas fotografias.


Peter Handke


Nota 1.[tradução da querida Amazonas Stereo, uma mulher muito perspicaz, bonita e inteligente. digo eu, que não a conheço, mas sou dada a estas certezas...]


Nota 2.[poema lido pelo anjo Damiel no início do filme Nas Asas do Desejo, Wim Wenders. poema e filme, dizem-me muito. íssimo.]


Nota 3.[eu adoro a Carroça do Jguitar. lá, para meu espanto, acontecem coisas incríveis! "conhecem-se" pessoas lindas como a Mathilda e a Amazonas :) pois é... há quem lhe chame coincidências! eu e o João não nos conhecemos de agora! nem pouco mais ou menos! já nos cruzamos diversas vezes, em casa de amigos comuns. no entanto, o meu planeta nunca tinha chocado com a carroça dele. ou a carroça dele com o meu planeta! um de nós, anda na rota errada :) ou a carroça do João anda na lua; ou o meu planeta anda muito por terra! mas ainda bem :) ]
imagem: google [não sei o autor]

3 Comments:

PAS[Ç]SOS said...

Quando a criança era criança
havia um desconhecer
que iria crescer
e iria perder
este prazer
de criança ser
na inocência de ter
a liberdade sempre
dentro de si a correr

Mathilda said...

Muitomuitomuito obrigada para nós levar ao teu planeta! Mas sei que sou criança :-).
Bjs!

Anónimo said...

Nunca tinha reparado no quanto éste poema é bonito. Mas aqui fazes-nos reparar em tantas coisas.

E a Mathilda é muito bonita.

O Quaresma é que nem tanto ;)

Ricardo CB

Beijo, Marta