segunda-feira, junho 15

Pronome pessoal tónico; o meu lugar

para ti. para nós

Quando o nosso olhar se encontra e eu só preciso de estar como sou;

Quando estou longe e a minha voz, à primeira sílaba, te dá as coordenadas do meu coração;

Quando - choras antes aqui. estou à tua espera, faço-te um chá;

Quando - vou ter contigo, temos de brindar, o momento é único;

Quando no meio da conversa me dizes - ah, é verdade, tens de ler isto, vais adorar;

Quando me trazes um doce, de qualquer lugar - esquece a dieta;

Quando me escreves uma carta [de envelope e selo] a contar as férias e a contar-te a ti;

Quando - estou apaixonado, ela é linda, estás a ver... assim como... lembras-te...;

Quando - anda daí, vamos às compras;

Quando - vais lá cozinhar, divides a cozinha com o João;

Quando vais viajar e - dá de comer ao gato; olha a água, a porta, o alarme;

Quando sonhamos alto - um dia os nossos filhos vão brincar juntos;

Quando palmilhamos a geografia das nossas infâncias, para que nada nos falte;

Quando tomamos café e são cinco minutos uma tarde inteira;

Quando partilhamos todas as histórias de que somos feitos e, ainda, a tarte de maça;

Quando filmes, livros, tupperwares e tabuleiros andam por nossas casas, como se fossem uma;

Quando descobrimos que, afinal, fomos separados à nascença e, por dentro, nem a mãe nos distingue;

Quando ligas a banda sonora das nossas viagens, estrada fora, noite adentro;

Quando se faz mais um silêncio cúmplice ou inventamos um sorriso novo;

Quando a paz de nos termos é o cordão umbilical que nunca cortamos;

Quando se me esquecer, poderás dizer quem sou - o bom e o mau;

Quando dentro do nosso abraço estamos para sempre;



...sinto-me em casa.



É aí, exactamente aí, nesse pilar monossilábico que assenta o lugar mais acolhedor da minha gramática de afectos. Nós, é o pilar e o lugar. O pronome pessoal tónico que me faz sentir em casa. Que me fará chegar sem nunca partir. Partir, sem nunca me afastar.


[participação na tertúlia virtual]
imagem: daqui

26 Comments:

Maria Emília said...

Curiosa e bonita forma de tratar o pronome pessoal nós. Nunca me tinha ocorrido. O que eu tenho aprendido nos blogs dá para contar... É bom que nos habituemos a ler as palavras ao contrário e de pernas para o ar. Ficaremos espantados com o que encontramos.
Gostei, amiga, obrigada.
Um abraço,
Maria Emília

Anónimo said...

Este NÓS querida amiga, é um conforto muito grande. Tão grande como a tua alma.
Que lindo esse lugar!
beijos

Claudia Sousa Dias said...

é assim uma amizade uníca e sólida como uma árvore milenária idolatrada pelos druídas.

;-)


beijos


csd

Eduardo P.L said...

Obrigado por ter participado de forma inteligente e criativa, nesta Tertúlia!

Chica said...

Muito lindo e bem criativo o teu post e saber usar e pensar o NÓS é bom...beijos,chica

António Oliveira said...

Fabuloso.
Arte e sensibilidade no seu melhor.
Eu vendo hamburguers na estrada...

Anónimo said...

QUAL dos DOIS é FEIO?????? ;)

heretico said...

lugar habitado de afectos. sem dúvida...

beijo

Ruvasa said...

Viva, Marta!

Está a ver o fundamento do que tenho dito acerca da sua escrita?

Há mesmo vida em Marta! E da melhor, da mais autêntica. Não ao alcance de todos nem sequer da maioria. Esse é o preço que se paga...

I made myself clear enough, I presume...

Grande abraço

Ruben

João Menéres said...

MARTA

Já tinha de manhã procurado o teu planeta, mas ainda não estava em órbitra.

O nome do teu blog é bem engenhoso e por de + divertido (e notoriamente mostra uma mente inteligente ).
A ilustração do cabeçalho é de uma poesia apetitosa, pela doçura. Onde a conseguiste?

Quanto á tua participação, sou franco: SURPREENDESTE-ME (estou convencido que a todos que não te tinham "apanhado" ainda na blogosfera !).
Já te tinha transmitido o prazer que o texto de Chacim me tinha dado. Escreves com grande desenvoltura e constróis o miolo de uma forma que vais despertando o interesse de quem te lê.
E isso é uma qualidade que não é de somenos.

Além disso (e voltando ao blog) está muito bem graficamente.
Era capaz de te sugerir que olhasses para os nomes dos autores no sidebar. Talvez consigas uma melhor leitura. Não sei como, de repente...
Começaria por espaçar mais cada bloco. Será suficiente?

Não sei se no teu perfil consta o teu e-mail.
Se não está, vês inconveniente em mo transmitir?

Vamo-nos ver muitas mais vezes, asseguro-te.

Um beijo com muita admiração.

expressodalinha said...

Poderia pensar-se no "nós" magestático, mas fica claro que para ti há dois em um. Gostei muito.

Sardita said...

Gostei muito!
Obrigado

Adelino said...

Lindo, lindo, Marta. Valeu. Gostei.
Abraços.

Maria de Fátima said...

nunca te terei dito e também que vale isso, mas inda assim deixo aqui escrito que gostei tanto destas letras todas encadeadas como se fosse verso, como dizendo vida: tão bonito isto que apetece ficar assim cinco minutos uma tarde inteira a comer um doce num planeta marte sei lá eu onde pelo universo e dizer um beijo e obrigada

Tiago Taron said...

Se a semelhança da casca da nós ao cérebro já me tinha intrigado- como se fosse a evidência da capacidade de comunicação das coisas quanto às suas propriedades (ao que parece a nós faz bem ap cérebro), esta agora de a nós ter vencido a pinha de que falam os espanhois para significar união (clãs que são uma pinha), deixa-me ainda mais intrigado com esse fruto a que chamamos nós. A partir de hoje a amizade é como nós.

entremares said...

Peço emprestadas as palavras do João Meneres...

CHEGAR SEM NUNCA PARTIR

Para onde quer que vamos, levamos sempre algo da CASA atrás...

Gostei muito.

Andrea Vaz said...

Belo texto! Bela participação!

Gostei muito do sentido que vc colocou na palavra Nós.

Muitos blogs para comentar, mas há sempre tempo de deixar algumas palavras.

Aguardo sua visita.

Tenha um lindo dia!

Teresa said...

Olá Marta
Gostei muito do seu texto, como já tinha gostado do de Chacim. Escreve com a sensibilidade à flor da pele e ao correr da pena.
Beijinho
Teresa

Gi said...

Quando damos nós bem apertadinhos em nós somos um lar, um porto de abrigo, não é Marta?

Zaclis Veiga said...

Claro que só posso dizer que amei esse texto. Esse nós (entre você e o feio)está repleto de identidades que adoro e de partilhas que eu gostaria de bisbilhotar. ;)
Beijos

Su said...

pasmei..................adorei ler.te.............


sim, o pilar

jocas maradas

Dalaila said...

no words.... !!!!!!!! quando me deixam sem palavras é porque não há mesmo mais nada a acrescentar.

Anónimo said...

Uma bela declaração de amizade :)

beijinhos
Cristina M.

Nely said...

Amei o seu texto.
Tem um encanto especial, emocionante e doce.
Não sei se há vida em Marte, mas de certeza Há vida em Marta.
Beijo.

Marta said...

como uma vez disse na caixa de comentários de um post do RUBEN, fico sem palavras!
eu, que escrevo pelos cotovelos, não sei que diga, a tanta generosidade!

abraço-vos, pode ser? em silêncio.
OBRIGADA A TODOS

Compondo o olhar ... said...

desculpe a demora, estava impossibilitada por causa de uma cirurgia que tive que fazer. mas já estou bem e estarei retornando aos poucos...
adorei sua participação em mais esta intrigante tertulia.

bjocas