sexta-feira, junho 19

O solista - o poder redentor da música


Chama-se Steve Lopez, é jornalista. E como tantos jornalistas por esse mundo fora, escreve livros.Trabalha aqui. Eu leio-lhe as crónicas, desde o passado mês de Dezembro.
Ofereceram-me um livro dele no Natal e, num ápice, devoreio-o. Lopez escreveu O SOLISTA.
O filme vem aí. Dizem. Era para Fevereiro. Li algures. Depois, Abril. Não sei. Estou atenta.

Filme, filme, só mesmo o meu. O que fiz enquanto li o livro. É sempre assim, não é? Nós imaginamos aquilo tudo. Cada livro que lemos é um filme que realizamos. Acredito que é, só porque acontece assim comigo. E a maior parte das vezes não temos oportunidade de conhecer o personagem. As personagens. Os cenários. Com o Solista, temos. Nathaniel Ayres existe. E tudo o que tem para viver, cabe num carrinho de super-mercado. O seu génio é que não.

Gostei tanto tudo. Do livro. E eu não gosto muito de um livro sempre pela mesma razão emoção. Nem pouco mais ou menos. No caso, a veracidade da história, a força que tem, os sentimentos que provoca, contribuíram para a minha paixão. «Um sonho perdido, uma amizade improvável e o poder redentor da música». A história de dois homens que se cruzam. Um músico brilhante, ex-aluno da Juilliard cujos neurónios, um dia, queimam! Um jornalista que quase enlouquece, para o tirar da rua. Inteligente e com sentido de humor, Lopez narra uma história que dá a conhecer o lado interior das ruas de Los Angeles. E alerta para o problema das doenças mentais da população sem-abrigo. Que a sociedade tem e terá de enfrentar. Tantas vezes sem condições; outras tantas, sem conhecimento...


«Não precisava que ele me pedisse desculpa. Só precisava de saber que a nossa amizade continuava a ser importante para ele». pag.226

11 Comments:

PAS[Ç]SOS said...

Mais uma, apenas uma mais, arrebatadora sugestão que nos deixa presos à tentação de ir correr a ler o livro. O filme... é sempre um receio vê-los depois dos livros.

Anónimo said...

Marta,

Concordo inteiramente com o Pas[ç]sos! dá vontade de ir a correr comprar.

BEIJINHOS
cristina M.

Tiago Taron said...

pelas minhas contas, à conta da Marta já lão vão três (vou ler)

Maggie said...

Marta,

como gosto mesmo de passar por aqui, tens um prémio no meu blog de leituras (http://jornaldamaggie.blogspot.com/
Passa por lá! :)

Bjs

Jorge Freitas Soares said...

Olá

Tenho que ir comprar... adoro ler, ainda que agora com os blogs leia menos... muito menos, mas fiquei com muita vontade de ler este.

Bom fim de semana
Jorge

clara said...

Vou procurar, fiquei curiosa.
Obrigada, Marta, pela sugestão.
Belo blog, muito variado e com um grafismo moderno.
Parabéns.

entremares said...

Fica sempre o receio, não é ?
Depois de ler os livros... tentar ver o filme, já sabendo de antemão que será diferente do filme que " inventámos" durante a leitura do livro...

E nessa matéria, ainda estou "traumatizado" com a última experiência: A profecia celestina.

( Não sei se já leste... )

O livro... e depois o filme ( Brrr )


Mas vou seguir a tua sugestão ...

Tucha said...

A literatura e o cinema são linguagens diferentes, e a primeira sempre me parece melhor, talvez porque vamos sovendo aos poucos o prazer do texto. Achei o livro interessante, vou ver se encontro por aqui.

acutilante - frank verlag said...

"...Que a sociedade tem e terá de enfrentar. Tantas vezes sem condições; outras tantas, sem conhecimento...". Na maioria dos casos por preconceito, pois os doentes mentais ainda sofrem do estigma social.Pois.

Duarte said...

Destacas uma frase e eu apoio a eleição. Quando for ao Porto vou procurar esse livro, cativou-me, pelo teu comentário.

Reconhecido

Claudia Sousa Dias said...

é bom saber...para aqminha colecção aumentar...


csd