quinta-feira, maio 5

As amoras


O meu país sabe às amoras bravas

no verão.

Ninguém ignora que não é grande,

nem inteligente, nem elegante o meu país,

mas tem esta voz doce

de quem acorda cedo para cantar nas silvas.

Raramente falei do meu país, talvez

nem goste dele, mas quando um amigo

me traz amoras bravas

os seus muros parecem-me brancos,

reparo que também no meu país o céu é azul.

Eugénio de Andrade


[com um imenso obrigada ao meu querido amigo A.Mendes]

7 Comments:

Carlos Azevedo said...

Por falar em amoras, já escutaste o disco da Maria João com a Orquestra de Jazz de Matosinhos, "Amoras e Framboesas", acabado de sair? Embora não tenha temas novos -- quase todos são repescados de discos anteriores da MJ --, é excelente.

Marta said...

...ainda não, Carlos...mas está na minha playlist para os próximos dias :)

Claudia Sousa Dias said...

São caras as amoras, sempre que as vejo no supermercado...

Poetisa (Helena) said...

Descobri o blog ao acaso. E amei demais encontrá-lo. Estarei seguindo e te convido a visitar/seguir:

http://escrevoparaviver.blogspot.com/

fallorca said...

Amoras em supermercados??? quem cometeu o sacrilégio de não as roubar nos silvados???

Claudia Sousa Dias said...

não sei...como aqui não há silvados resta-me ir aos supermercados. Rimei, mas não foi de propósito,

Zaclis Veiga said...

ai ai ai
estou com a boca cheia d'água por conta de uma certa geléia de amoras...
será que o agradecimento tem a ver com essas tais?