quinta-feira, outubro 8

Mudam-se os tempos


Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o Mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem, se algum houve, as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
Que já coberto foi de neve fria,
E em mim converte em choro o doce canto.

E, afora este mudar-se cada dia,
Outra mudança faz de mor espanto:
Que não se muda já como soía.


Luís Vaz de Camões
imagem: google

4 Comments:

Claudia Sousa Dias said...

o nome Vaz é certificado de talento em alguns daqueles que o levam...

;-)

Anónimo said...

Tenho trauma Marta, com estes sonetos, pois nunca sabia o que o poeta quer dizer!!!!!

Beijinho
Cristina M.

sonja valentina said...

a mudança... saberemos mesmo viver com ela e aceitá-la ou apenas nos acomodamos?

Zaclis Veiga said...

mudança!
tenho perseguido essa palavra!