sexta-feira, outubro 2

Perdidamente

[eu vou, num instante, dar um salto a 1988 e venho já. meia-hora. não mais. muito alto]

8 Comments:

mfc said...

não nos cansa...

Leonardo B. said...

(ena pá... as memórias que se esqueceram de nós; partiram sem dar noticia!)

Amiga Marta

todos os dias esquecemos algo ou alguém importante, algo que fez mudar a nossa vida num ápice, e por vezes qual buraco negro que instala-se em nós... desaparece! No entanto, é bom saber que temos sempre por perto uma mão, que nos traz de "regresso à vida"... não gosto de me sentir refém do passado, mas há coisas e saudades, que ficaram lá atrás, que são "muita boas"... lá isso são!

(agora sou obrigado a procurar o 45 r.p.m. do 125 azul... eina, naquele monte vai ser dificil!)

Um imenso abraço, aqui do fundo do quintal

Leonardo B.

Marta said...

125 azul, amigo Leonardo...

125 azul, não é mais uma duas rodas --- é um autocarro de memórias :) muito boas!

um imenso abraço, aqui do fundo da horta ;)

C. said...

Depois disto é impossível reler o poema sem o "colar" a esta melodiosa e feliz interpretação. Acho que gosto mais da interpretação do que da poesia repolhuda da F.E. É sempre uma poesia muito sofrida. Como foi a vida dela, de resto. Mas seríamos mais pobres sem ela? Seguramente.

(e estou quase quase a responder ao seu desafio de há uns dias. Não está esquecido...)

Beijinho amigo.

Marta said...

O meu desafio, também não está esquecido, querida C. dos cartões vermelhos :)
são as vidas, a correr.
beijinhos

Anónimo said...

Ouvi MUITAS VEZES Trovante,em vinil, e antes dos Trovante, ouvi Luis Represas ao vivo...
Gostava Muito.
Agora, menos... passou o seu tempo...
MB

PAS[Ç]SOS said...

Para além dos CDs, lembro-me dos vinis, lembro-me dum concerto no Campo Pequeno onde estas palavras fizeram tanto sentido, lembro-me do Xafarix... e será melhor parar, pois caso contrário, ainda me lembro de ter nascido.

Maggie said...

Numa palavra - fantástico!
Há viagens no tempo que valem a pena!

Bjs