domingo, dezembro 12

Prece


Que nenhuma estrela queime o teu perfil
Que nenhum deus se lembre do teu nome
Que nem o vento passe onde tu passas.
Para ti criarei um dia puro
Livre como o vento e repetido
...Como o florir das ondas ordenadas.
Sophia de Mello Breyner Andresen

9 Comments:

Anónimo said...

que vontade imensa de criar novos dias e suaves noites... que ávido desejo de recriar mundos... que poema Martha... que poema!

Anónimo said...

perdão pela indelicadeza.
assinado: filipe

Anónimo said...

A tua Sophia :)
P.

Terráqueo said...

Maravilhoso, que nenhum Deus lembre do nome dos nossos queridos também. Beijos.

sem-se-ver said...

a recém-editada obra completa, pela caminho, já cá canta, como prenda de natal.

(ainda nao a abri, claro)

Carlos Eduardo Leal said...

Majestoso! Não é qualquer olhar que lê Sophia...
Obrigado, Marta

Marta said...

é lindo sim, filipe :)

P., isso tudo. muito minha :)

bjo, Terráqueo :)

tb quero, sem-se- ver! ;)


eu que é que agradeço, Carlos, as suas palavras. sempre.

PAS[Ç]SOS said...

Esmagador como o mar,
como o céu,
como o desejo,
como o simples pedido,
como a poesia,
como só a Sophia pode, CONSEGUE, ser!

Anónimo said...

Parece que Cesário viu os seus olhos no facebook e deixou-lhe uma mensagem:
Teus olhos imorais,
mulher, que me dissecas,
teus olhos dizem mais
que muitas bibliotecas.

Cesário Verde