domingo, dezembro 5

...noites iluminadas de saudade...


É esta a minha pobreza: nunca a minha mão descansar de dar; é esta a minha inveja: ver olhos à espera e as noites iluminadas de saudade. [...] Quem sempre dá, corre o risco de perder o pudor; quem sempre reparte, as mãos e o coração lhe criam calos de tanto repartir.

F. Nietzche, Poemas, Centelha, Coimbra, 1981

0 Comments: