segunda-feira, dezembro 6

Se ao menos fosse o fundo dos teus olhos

Se ao menos fosse o fundo dos teus olhos, o lado de dentro das tuas mãos,
a respiração suspensa dos teus lábios. Mas não.
É um abstrato fogo quieto, lento e macio.
Um lastro de navio a romper o mar. É quase o teu peito aberto nos meus dedos.
Um desejo à espera de um nome. Uma vela desfraldada no meu ventre.
Uma ciranda de longe, à tua espera. Berlindes coloridos soltos na chuva.
Uma tempestade de silêncio. Um swing que teima em arder.

imagem: NJC Photography