terça-feira, março 30

Fala-nos da Conversa


Então um erudito disse, Fala-nos da Conversa.
E ele respondeu, dizendo:
Vós falais quando deixais de estar em paz com os vossos pensamentos, e
quando já não conseguis lidar com a solidão do vosso coração, viveis com os
lábios e o som é uma diversão e um passatempo.
E, em muita da vossa conversa, o pensamento fica amordaçado.
Pois o pensamento é um pássaro do espaço que numa gaiola de palavras pode
abrir as asas mas não pode voar.
Há muitos de entre vós que procurais a conversa com medo de estardes
sozinhos.
O silêncio da solidão revela aos vossos olhos os vossos eus despidos e eles
querem escapar.
E há aqueles que falam, e sem conhecimento ou premeditação revelam uma
verdade que nem eles próprios entendem.
E há aqueles que têm a verdade dentro de si, mas não a dizem por palavras.

E é no seio destes que o espírito habita em silêncio rítmico.
Quando encontrais o vosso amigo na rua ou no mercado, deixai que o vosso
espírito conduza os vossos lábios e dirija a vossa língua.
Deixai que a voz dentro da vossa voz fale ao ouvido do seu ouvido, pois a
sua alma guardará a verdade do vosso coração tal como se guarda o sabor do
vinho. Quando já se esqueceu a cor e já não temos a taça.

Khalil Gibran in O Profeta

4 Comments:

Lou a esquizoffrenica said...

Absolutamente maravilhoso o texto, mas eu prefiro a taça e a cor do vinho presentes em meus sentidos.

João Menéres said...

Textos assim são raros !
Obrigado, MARTA.

Um beijo.

João Menéres said...

Mas, HOJE, ainda são 30 de Março, 19:54h.
Queres-me envelhecer 12 ou 24 horas?

Marta said...

não João, claro que não!
mas neste planeta o tempo é outro :)
um grande, grande beijinho