quinta-feira, outubro 6

Poeta da natureza e da música...


...escrevem! Eu nunca lhe li nada, confesso! Tomas Tranströmer  é o Prémio Nobel da Literatura

2 Comments:

João Menéres said...

Serve este cheiro ?

Lisboa

No bairro de Alfama os eléctricos amarelos cantavam nas calçadas íngremes.
Havia lá duas cadeias. Uma era para ladrões.
Acenavam através das grades.
Gritavam que lhes tirassem o retrato.
«Mas aqui!», disse o condutor e riu à sucapa como se cortado ao meio,
«aqui estão políticos». Vi a fachada, a fachada, a fachada
e lá no cimo um homem à janela,
tinha um óculo e olhava para o mar.
Roupa branca no azul. Os muros quentes.
As moscas liam cartas microscópicas.
Seis anos mais tarde perguntei a uma senhora de Lisboa:
«será verdade ou só um sonho meu?»

Tomas Tranströmer
Trad. Vasco Graça Moura

Um beijo.

Marta said...

obrigada, Dom Grifo Planante!

BJO