terça-feira, novembro 1

O mundo estava no rosto da amada -




O mundo estava no rosto da amada -

e logo converteu-se em nada, em

mundo fora do alcance, mundo-além.


Por que não o bebi quando o encontrei

... no rosto amado, um mundo à mão, ali,

aroma em minha boca, eu só seu rei?


Ah, eu bebi. Com que sede eu bebi.

Mas eu também estava pleno de

mundo e, bebendo, eu mesmo transbordei.


Rainer Maria Rilke

[tradução: Augusto de Campos]

imagem: Rainer Maria Rilke e Lou Andreas - Salomé

6 Comments:

Angélica Lins said...

Que saudade de vir aqui...
Lindíssimo Marta!

Beijo meu.

Anónimo said...

Acho que o Rilke precisa da resposta da Lou...

"Tira-me a luz dos olhos: continuarei a ver-te
Tapa-me os ouvidos: continuarei a ouvir-te
E embora sem pés caminharei para ti
E já sem boca poderei ainda chamar-te.
Arranca-me os braços: continuarei abraçando-te
Com o meu coração como com a mão
Arranca-me o coração: ficará o cérebro
E se o cérebro me incendiares também por fim
Hei-de então levar-te no meu sangue."
....

Ranier Maria Rilke, Lou Andreas Salome. Correspondência Amorosa
Relógio de Água

Este também definitivamente é um dos últimos livros a sair..

Bom fim de tarde a Marte e aos Terráqueos gravitantes

JDA

Anónimo said...

Muito lindos estes poemas, o que está no blog e o que está neste comentário. Acho que o que está neste comentário é arrasador, obrigada JDA e bom fim de tarde!

bjo, Marta.
P:

Marta said...

um bjo, linda Angélica :)

Marta said...

belíssimo JDA, um poema belíssimo!

boa semana!

Marta said...

querida P:,

bjos :)