quinta-feira, novembro 17

Emigrados na terra, sem mar e sem espaço...


‎Preocupo-me com os deuses. O meu tridente não enxerga divindades. Mesmo no céu, no último reduto que julgava possível eles já o abandonaram. É novo mistério para explicar, para filósofos e religiosos penetrarem no poder das cogitações. Emigrados na terra, sem mar e sem espaço os deuses ficam mais limpos, mais puros, apeados da parafernália dos domingos e feriados.


Ruben A.

5 Comments:

Funes, o memorioso said...

O título é tão mau como «O Deus do Adeus» e pior do que «deu Deus deuses a quem não tem adeuses».

Funes, o memorioso said...

Quanto ao texto que transcreve, evidentemente, não tem pés nem cabeça.

Anónimo said...

A PROPÓSITO DE DEUSES, DO MAR E DO CÉU

... E O SEU FULGOR É UM TUMULTO DE ESTRELAS SOTERRADAS/
QUE ASCENDEM E TOMBAM EM INTANTÂNEAS PRAIAS/
BORDADAS PELA ESPUMA DE UM MAR SECRETO E PURO/
DE TESOUROS AZUIS E DE ESGUIAS MÃOS NOSTÁLGICAS...

...ROUBADO DA MONTRA DE UMA OURIVESARIA JUNTO Á PRAIA LÁ DA BOA NOVA...

JDA

Marta said...

Prof. Funes,

vá, por favor, ver se está a chover!!!

Marta said...

...António Ramos Rosa, JDA?