quarta-feira, maio 12

Profecias literárias...

“Nós estamos num estado comparável somente à Grécia: mesma pobreza, mesma indignidade política, mesma trapalhada económica, mesmo abaixamento de caracteres, mesma decadência de espírito. Nos livros estrangeiros, nas revistas quando se fala num país caótico e que pela sua decadência progressiva, poderá vir a ser riscado do mapa da Europa, citam-se a par, a Grécia e Portugal”.

Eça de Queirós, 1872, in “As Farpas”

Roubado na íntegra AQUI. Obrigada Mike.

11 Comments:

Patti said...

Sempre achei que esse homem não estava morto!

Leonardo B. said...

[esse rapaz, tem futuro... Eça? E eu a pensar que as revelações dos Pastorinhos já estavam todas feitas e Judas tinha ido buscar as botas onde as esqueceu, afinal não... há mais Bandarras que o de Trancoso!

Mudam-se os tempos, mas não as realidades (desculpa lá, Luis Vaz que te atraiçoo)]

um imenso abraço, M.

Leonardo B.

Leonardo B. said...

[um acrescento M.: ... Luis Vaz, mas o de Camões; não vá algum próximo seu, responder por Luis. :) ]

Abraçimenso

Leonardo B.

Teresa said...

Pois, parece que não mudámos muito.
Bjs

Angélica Lins said...

Tem selinho pra você lá no vórtice.
Beijo

Bípede Falante said...

Impressionante!

continuando assim... said...

não mudamos nada !!!

bj
teresa

Funes, o memorioso said...

Vamos lá a ver, Continuando assim",

O mundo urbano e político de Lisboa não mudou nada. O mundo rural do séc. XIX mudou completamente. Morreu.
Isso explica que Eça continue um escritor enormemente popular e que Camilo, por exemplo, tenha pura e simplesmente deixado de ser lido. O mundo de Camilo já não existe. O de Eça continua aí.

Funes, o memorioso said...

Desculpe, Teresa,
Trattei-a pelo nome do seu blogue, porque não vi a assinatura no final.

Carlos Pires said...

As dificuldades são de facto estruturais!

sonja valentina said...

há coisas que não mudam... infelizmente.