quarta-feira, maio 12

Profecias literárias...

“Nós estamos num estado comparável somente à Grécia: mesma pobreza, mesma indignidade política, mesma trapalhada económica, mesmo abaixamento de caracteres, mesma decadência de espírito. Nos livros estrangeiros, nas revistas quando se fala num país caótico e que pela sua decadência progressiva, poderá vir a ser riscado do mapa da Europa, citam-se a par, a Grécia e Portugal”.

Eça de Queirós, 1872, in “As Farpas”

Roubado na íntegra AQUI. Obrigada Mike.

11 Comments:

Patti said...

Sempre achei que esse homem não estava morto!

Breve Leonardo said...

[esse rapaz, tem futuro... Eça? E eu a pensar que as revelações dos Pastorinhos já estavam todas feitas e Judas tinha ido buscar as botas onde as esqueceu, afinal não... há mais Bandarras que o de Trancoso!

Mudam-se os tempos, mas não as realidades (desculpa lá, Luis Vaz que te atraiçoo)]

um imenso abraço, M.

Leonardo B.

Breve Leonardo said...

[um acrescento M.: ... Luis Vaz, mas o de Camões; não vá algum próximo seu, responder por Luis. :) ]

Abraçimenso

Leonardo B.

Teresa Diniz said...

Pois, parece que não mudámos muito.
Bjs

Angélica Lins ツ said...

Tem selinho pra você lá no vórtice.
Beijo

Bípede Falante said...

Impressionante!

continuando assim... said...

não mudamos nada !!!

bj
teresa

António Conceição said...

Vamos lá a ver, Continuando assim",

O mundo urbano e político de Lisboa não mudou nada. O mundo rural do séc. XIX mudou completamente. Morreu.
Isso explica que Eça continue um escritor enormemente popular e que Camilo, por exemplo, tenha pura e simplesmente deixado de ser lido. O mundo de Camilo já não existe. O de Eça continua aí.

António Conceição said...

Desculpe, Teresa,
Trattei-a pelo nome do seu blogue, porque não vi a assinatura no final.

Carlos Pires said...

As dificuldades são de facto estruturais!

sonja valentina said...

há coisas que não mudam... infelizmente.