sexta-feira, fevereiro 17

A ti que não tens nome...


[...]

A ti que não tens nome e que os outros ignoram,

O mar diz-te: sobre mim, o céu diz-te: sobre mim,

Os astros adivinham-te, as nuvens imaginam-te

E o sangue espalhado nos melhores momentos,

O sangue da generosidade

Transporta-te com delícias.


Canto a grande alegria de te cantar,

A grande alegria de te ter ou te não ter,

A candura de te esperar,  [...]


Paul Eluard, in Algumas das Palavras, Tradução de António Ramos Rosa


imagem: Paul Eluard por Henri Cartier-Bresson 

0 Comments: