quinta-feira, fevereiro 9

Falta de abstracção


Não era falta de atenção. Não! Era falta de abstracção! 
Bem sei que a tendência, quando se perde algo é a de olhar para o chão. No caso, um pouco de azul excluiria de imediato essa possibilidade absurda.  Era para o ar, para cima, em direcção ao céu que ele deveria olhar. Como se procurasse uma janela alta, um papagaio de papel, um salto de golfinho. Nunca para o chão, onde caem moedas e rolam para sítios onde ninguém vai. Onde quase ninguém vai.
Onde quase nada se recupera.
Faltava-lhe muito azul. Azul e abstracção.

4 Comments:

Terráqueo said...

Marta, que texto sensacional. Adorei. BJs.

paula said...

verdade, tão verdade.

João Menéres said...

Magnífico texto, Marta.

Gostei imenso.

Um beijo.

Marta said...

obrigada, Terráqueo e João :)


Paula... :)