quarta-feira, setembro 28

Pusemos tanto azul nessa distância




Pusemos tanto azul nessa distância

ancorada em incerta claridade

e ficamos nas paredes do vento

a escorrer para tudo o que ele invade.



Pusemos tantas flores nas horas breves

que secam folhas nas árvores dos dedos.

E ficámos cingidos nas estátuas

a morder-nos na carne dum segredo.
 
 
Natália Correia

1 Comment:

deep said...

Muito bonito. :)