sábado, setembro 10

eu sei, são quase seis da tarde






eu sei, são quase seis da tarde

mas acabei de encontrar uma madrugada

para te dizer que o amor aconteceu

porque existem cartas e quadros

e outras coisas que não morrem.

[...]

imagem: Tiago Taron

12 Comments:

Anónimo said...

Li no teu FB mas aqui fica ainda mais lindo. Tão lindo, Marta, tudo!
bjo
P:

Claudia Sousa Dias said...

há alguma coisa que faças que não seja revestida do puro conceito do Belo?

Anónimo said...

Com votos de um excelente e Belo fds:

Para verme mejor cierra los ojos
Para encontrarme mejor perderme
Para tenerme cerca suelta la cuerda
Que yo estoy aquí como está la niebla.

Si me hablas a mi no uses la lengua
La soledad y yo hacemos uno
Si quieres que ande no me des cuerda
Que yo estoy aquí como está
La niebla...

La niebla
Que no obedece reglas
Es humo y bruma tras la fiesta,
Niebla.

La niebla
No sabe reglas
es humo frío y bruma tras la fiesta,

Deja que llegue a ti como la niebla
Lo que no se puede decir no se dice
Y lo que no se pueda contar no se cuenta,

La niebla
No sabe de reglas
Es humo frío y bruma tras la fiesta

Deja que llegue a ti como la niebla
Lo que no se puede decir no se dice
Y lo que no se pueda contar no se cuenta,

La niebla
No sabe de reglas
Naturaleza que humo frío
y bruma tras la fiesta

Para guardarme a mí la jaula abierta
Para gozar mi sonrisa hazme reír
Pa recoger primaveras antes siembra
Yo estoy aquí como está la niebla,
Yo sigo aquí como la niebla
Para ti como la niebla.

(Conchita Buika)

Com amizade

PMF

Bípede Falante said...

Marta, o trabalho do Tiago é extremamente raro. Eu vejo e sinto tantas coisas em cada desenho, desenhos repletos de enredos, provocações e descansos.
Gosto tanto.
beijoss

sem-se-ver said...

(que livro/s leu do rentes de carvalho? qual me aconselhas?)

Anónimo said...

E OUTRAS COISAS QUE NÃO MORREM

LINDO, MIÚDA!

Demian said...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luis Eme said...

são sempre horas de festejar o amor, Marta.

Anónimo said...

"Não sei como chamar
Os dias pelo nome
Serão sempre os nossos

Podes perpetuar momentos
Em envelopes fechados
Podes ilutrar cartas com quadros

Letras, pinceladas, amor
Também tenho disso para te dar
Não acreditas?

E se disser que te amo?
Se a voz ecoar na falésia
Junto à praia

Vou morrer lá
No espaço íngreme, absoluto
Na distância geodésica

Espera por mim
Prometo levar-te
As cartas e os quadros
Os dias continuarão a ser nossos"




Diz-te alguma coisa, Marta?

Emilia said...

Que coisa mais linda!

João Menéres said...

Exuberantemente belo, MARTA !

Obrigado.

Um beijo.

Marta said...

os desenhos do Tiago Taron ou me deixam na afasia total ou me fazem dizer coisas...que não morrem :)
são, de facto, desenhos ex tra or di nários!


abraços e bjos :)