domingo, novembro 1

uma ode por entre as estações


O que corresponde ao reconhecimento do mundo, ou

àquilo que, para uns, é uma explicação da vida,

está contido nessa dimensão da natureza que nos é

inacessível: o instante em que a eclosão da flor

dá um sentido ao tronco que parecia seco. Esta mudança

nas coisas, trazendo aos olhos as cores que o fim

do temporal distribui pelo arco-íris, passa para

dentro de cada um, limpando o espírito de nuvens

- embora eu saiba que o vento, anunciado pelo

horizonte de linhas duras e nítidas, as voltará a

trazer. Porém, dizes-me, não são as nuvens negras

do inverno; e muito menos essa mortalha de cinza

com que o outono encobre os céus. Há convicções

que nos pertencem, respondo, como se a vida frugal

de quem segue a expectativa da noite não deixasse

entrever a luz que a madrugada concede aos que

cedem à insónia...Podíamos continuar esta conversa,

esperando que o rumo das palavras nos desvie para

o que verdadeiramente importa: nós ambos, neste

patamar de casa, sem saber para onde nos levam

as escadas. Lá em cima, porém, outras

portas parecem abrir-se; e para lá delas, outros

patamares,e outras perguntas. E em que obscuro

quarto, pergunto, está para surgir a flor que os teus

olhos anunciam? Ou antes: em que fim de corredor

a poderei colher, agora que a viagem vai a meio,

ou se aproxima do fim, segundo indicam

as linhas da mão? No fundo, é esta a primavera

que as frases constroem, quando percebemos que

é delas que nasceu o que as mãos procuram,

neste canto para além das linhas e dos mapas.


Nuno Júdice in O Estado dos Campos, p. 24 e 25, Dom Quixote, 2003
imagem: pintura de Vieira da Silva

9 Comments:

Anónimo said...

Lindíssimo!
Beijo,
Xana:)

Gisela Rosa said...

Adorei Marta"...este para além das linhas e dos mapas"...uma cartografia da alma.

Um beijinho

Paulo said...

Excelente, o poema e a composição.
Há um Selo no Marcas para este espaço "instigante". Bjinho

TERESA SANTOS said...

Não conheço "O Estado dos Campos", do Júdice, mas este excerto é francamente bonito.
E vão dois selos "instigantes" para ti. Tal como o Paulo também te vinha dizer que tens um selo instigante no meu blog.
Abraço, Marta.

heretico said...

gostei muito de (re)ler o texto. aqui.por tuas mãos...

beijos

Lina Faria said...

Que bonito isso...
bjs,
Lina

Angélica Lins said...

Não conheço o Estado dos Campos, mas certamente passarei a conhecer de agora em diante.
Você sempre trazendo coisas magníficas para cá...

Deixei um selo para você em meu cantinho e ele faz jus a este apaixonante lugar!

Incontáveis beijos para você Marta.

Sofá Amarelo said...

Porque as palavras podem ir sempre além das linhas e dos mapas... Nuno Júdice no seu melhor!!!

Muitos beijinhos!!!

lupussignatus said...

a colheita

das

mãos




*bom
domingo*