quinta-feira, novembro 12

"o ano do pensamento mágico"


cá por mim esta grande SENHORA dos palcos portugueses recebia uma catrefada deles. de globos de ouro. um ou mais por dia. cá por mim, todos os dias são dias para a homenagear, para a distinguir, para lhe dizer obrigada. cá por mim, eu não morria sem lhe dar um abraço. forte, forte. muito sentido. porque falar-lhe acho que não era capaz. dava-me uma daquelas afasias totais que se fazia silêncio no mundo à custa do sentimento indizível que me fica na alma quando a vejo no palco.


vem aí um monólogo de uma hora e dez minutos. «O ANO DO PENSAMENTO MÁGICO», de Joan Didion, no Teatro Dona Maria II, em Lisboa. a não perder, claro está.

para já, fiquem com a entrevista da página 10, do Página 1, aqui. é uma DEUSA que nos fala. e diz-se assustada. muito... LINDA é o que é. e absolutamente extraordinária.

12 Comments:

Funes, o memorioso said...

Nunca percebi o endeusamento que se faz desta senhora e da versão masculina da mesma, o sr. Ruy de Carvalho.
São duas figuras simpáticas e educadas, sérias e bastante competentes naquilo que fazem. Ponto final. Não são mais do que isso. O seu contributo para a História da cultura pátria não vai além da competência na representação.
Mas não sei porquê, em Portugal, sempre que uma actriz ou um actor continuam a fazer teatro depois dos 65 anos, transformam-se imediatamente em "Grande Senhora" e "Grande Senhor" do Teatro, como se isso fosse uma grande coisa.
Até a inenarrável Simone de Oliveira, só porque se arrasta penosamente pelos palcos desde os anos sessenta do século passado, é frequentemente apresentada como alguém que tem alguma coisa a ver com a cultura.
Como disse alguém: se a humanidade se visse, de um momento para o outro, privada do teatro, nada sentiria.

Marta said...

Prof. Funes:
não me canse a beleza.não é muita e por isso tenho de a poupar!!
põe-me os cabelos brancos!
...simpática, educada, séria e... - ok. não me fica bem, mas cá vai -
competente naquilo que faço, sou eu. eu e milhares de pessoas.

trata-se de talento, génio, arte...

e, quanto ao "SENHOR[A)" há actores/ actrizes jovens que o são.

não tem a ver com a idade. tem a ver com algo que o Sr. Prof. Funes não vê.
paciência! compre um coração.

jg said...

Querida Marta,

Não me peça para justificar mas tenho a dita senhora como um belíssimo exemplar de actuação no poço da morte.

Acho-a com ar de feiranta mal encarada e de nariz muito empinado para o meu gosto.

Assenta-lhe que nem uma luva a máxima "A falsa humildade é a pior das arrogâncias"

Não se "pegue" comigo que sou blindado como o primeiro sinistro. Vingue-se no Funes que tem melhor corpinho para malhar.

Anónimo said...

Cara Blogger,

Peço desculpa mas não consigo evitar a desgraça. Eu também não gosto dessa senhora, apenas porque a acho presunçosa e como diz JG, falsa humilde.

Leigo

jg said...

Adenda ao meu comentário.

Não confundir "malhar" com "malhação".

Na segunda categoria, sou especialista. Contrariamente a Funes.

Teresa said...

Pois eu gosto muito dela, acho-a uma excelente actriz e não vou perder a oportunidade de a ir ver nessa peça, se puder. Não percebo o prazer que os portugueses tiram de menorizar aqueles que se distinguiram porque são verdadeiramente bons em qualquer coisa. Que bom se tivessemos muitos muito bons.
Bjs

Carlos Azevedo said...

Já assisti a várias peças de teatro com ela. Sinceramente, e isto é uma opinião pessoal, acho-a sobrevalorizada. Há actrizes muito superiores em Portugal.

Já o livro, que é o que verdadeiramente motiva este comentário, considero-o assombroso. Uma das prosas mais directas, sentidas e dolorosas que li. É a chamada escrita no fio da navalha: um passo em falso, e tudo resvalava para o sentimentalismo mais piegas. Mas isso nunca acontece. Doloroso, mas imperdível.

Carlos Azevedo said...

Apenas um esclarecimento: dizer que há actrizes muito superiores não significa que Eunice Muñoz seja uma actriz má, menor. Apenas significa o que escrevi: que a acho sobrevalorizada.

Anónimo said...

Marta,
Gostava muito de ir ver a Eunice.
Quando comprares bilhetees para Ti, não te esqueças de comprar + 2.
Alguém ficará com os Bonecos...
Bjs
MB

privada said...

Pois para mim, os olhos da velhice dela revelam uma paz e uma paciencia que um dia gostaria de atingir, escolheu sempre bem as suas peças, comportou-se como uma profissional e quanto ao nariz só lhe fica bem, parece do norte, bem pronunciado.
Em novelas penso k todo o tempo do mundo foi uma obra notavel, tbm foi das poucas novelas k vi, mas boa.

A peça deve ser excelente, estou curioso qt ao arranjo do livro. O livro recomendo-o, trata de dar a entender todas as mudanças cognitivas e nao só, que ocorrem nas pessoas perante a perda, ainda que pareça simples, é engraçado perceber como de facto há tantas mudanças que não se percebem à primeira. Ok pronto é uma coisa assim po sensivel, e atão, prontos ... deve ser interessante, principalmente na voz e actuação de Eunice.

Luísa said...

Gosto da voz! Do tom!
Gosto dos olhos!
do olhar!
Gosto do rosto! Da calma transmitida!
Gosto da persistência! Marca de MULHER com vida!
Gosto de ti e da informação prestada.
Nem todos concordam. Mas se todos gostassemos do amarelo...
Beijinho terno!

Carlos Barbosa de Oliveira said...

Uma grande senhora, sem dúvida...