quarta-feira, abril 27

Amável senhora, não cante

XXVIII



Amável senhora, não cante

Canções tristes sobre o fim do amor;

Afaste a tristeza e cante

O quanto basta o amor que passa.



Cante o longo e profundo sono

Dos falecidos amantes, e como

Na sepultura todo o amor repousará:

Por ora o amor está cansado.


James Joyce, in Poems and Shorter Writings, Faber and Faber, 2001, p. 40.

[Versão de HMBF, de onde poema e imagem foram desviados]

2 Comments:

josé luís said...

também não conhecia ;)
é mr. joyce à porta da livraria não é?

Marta said...

sim, creio que sim, José Luís.