quarta-feira, abril 13

Os livros. A sua cálida...



Os livros. A sua cálida

Terna, serena pele. Amorosa

Companhia. Dispostos sempre

A partilhar o sol

Das suas águas. Tão dóceis

...Tão calados, tão leais.

Tão luminosos na sua branca e vegetal cerrada

Melancolia.

Amados

Como nenhuns outros companheiros

Da alma. Tão musicais

No fluvial e transbordante

Ardor de cada dia.
 
Eugénio de Andrade

2 Comments:

josé luís said...

...o que seria de nós sem eles?

Marta said...

...quase nada :)