quinta-feira, julho 15

Leitores silenciosos


eu gosto de leitores silenciosos. às vezes também sou uma leitora silenciosa. às vezes gosto tanto, tanto de ler uma coisa que a única vénia que faço é um longo silêncio. às vezes, um silêncio definitivo. outras vezes, um silêncio intermitente de farol.
hoje li um e-mail de um leitor silencioso e gostei muito. diz-me que passa por aqui há já algum tempo e resolveu quebrar o silêncio. e ainda bem. fez uma sugestão de leitura que já tratei de concretizar, tentando comprar o livro. e foi tudo tão rápido que o livro parte amanhã em direcção às minhas mãos.
[eu gosto de silêncio. até do de elevador. raro, nos tempos que correm.
eu gosto de silêncios. até dos que ficam do outro lado da página, depois de desfolhada]
eu gosto de leitores silenciosos. daqueles que um dia quebram o silêncio e dos outros, daqueles que jamais saberei que passaram por aqui.
agradeço a todos.

18 Comments:

Renata Bezerra said...

Eu gosto do silêncio, mas daquele que fala ou que se ensaia para falar.

Beijo para ti, Marta

João Menéres said...

Começo bem o dia!

Um beijo.

Anónimo said...

há outro livro que também pode adquirir - e grátis - ,meu,sem reversos das páginas, de minha autoria.Vale quase nada, deve custar um sacrifício(não santo)lê-lo,mas julgo conter uma mensagem para o futuro. Dê-me o seu endereço e envia-lo-ei por email.Um abraço A.Quadros

Anónimo said...

Ó seu comentário à mensagem de anteontem no meu "sonhoscomsorte" trouxe-me ainda mais paz, reforçando a que senti depois de escrever o meu "acto de contrição", como a Marta lhe chamou.Será que falta o mais dificil,que será o de escrever o que não escrevi nas entrelinhas ? Um abraço A.Quadros

Lina Faria said...

Marta,
sou uma dessas silenciosas.
Tanto gostei que vou levar pro meu blog.
beijo!

Marta said...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vera said...

Eu gosto de leitores que me deixem sinal de que estiveram no Vekiki e que me leram.

Marta said...

Sei como é Renata, um beijo.
Outro beijo, João.
Um abraço, A. Quadros.
Eu, ultimamente, tb tenho sido, Lina :)beijo.
Vera, obviamente que tb gosto de todos os que comentando se manifestam. Até mesmo do Prof. Funes :) Mas tb gosto dos silenciosos. bjo.

Poetic GIRL said...

Eu por vezes sou uma dessas leitoras silenciosas, outras à que gosto de deixar a minha marca! bjs

Pedro said...

entre um
silêncio
e outro
que silêncio

Carlos Azevedo said...

Quando gosto de algo ou de alguém, por regra, não sou dado a silêncios, porque acho que aquilo que nos entusiama é para ser partilhado; mais: cada vez mais acho que é esse um dos sentidos da nossa existência. Mas, claro, o que dizes é uma forma de ver as coisas tão válida como a minha.
Beijo.

K said...

"Somos escravos da nossa palavra e senhores do nosso silêncio"

Provérbio árabe


Beijos

Carlos Azevedo said...

K,
como (quase) todos os provérbios, esse encerra tanto de sabedoria como de banalidade. Bom, porque é isso que faz de nós seres livres, é sermos senhores de ambos.

Marta said...

isso, isso Poetic Girl :)bjo

Pedro,

entre silêncios
pequenos poemas
imensos.

Carlos,
eu, muitas vezes, tb me entusiasmo e comento e gosto de comentar.
ÀS vezes acontece de não comentar por não ter tempo de comentar como gostaria.
muitas vezes acontece de um comentário meu
transmitir menos do que o meu silêncio.
enfim...tanta coisa.
tb partilho o que defendes. claro que sim. bjo

K,
gostei do provérbio :)

Pedro said...

um verso só
entre silêncio só
só um poema completo

Pedro

Terráqueo said...

Para te agradar pensei em ficar silente, mas o seu texto está bom de mais, e então eu berro: Parabéns!

Mafalda Branco said...

Martinha,
também eu passei muitas vezes por aqui em silêncio, num silêncio que não era de indiferença, como tantas vezes tenho em relação a outros espaços ou pessoas. Não, este era um silêncio doce, que me dava tranquilidade, me fazia aprender coisas novas, descobrir mundos para mim desconhecidos, ou simplesmente encontrar o que eu própria pensava ou sentia. Foi esse silêncio que me uniu a ti, queria M.! Por isso mesmo, como te compreendo! Mais uma vez! :)
Um abraço demorado num silêncio amigo e cúmplice!
Mafalda

Marta said...

Terráqueo,
a noite fechou com um sorriso imenso. obrigada :)

Pedro,
só, um verso
completou
o silêncio.

Mafalda,
devolvo-te esse abraço,
depois de o sentir tanto.
um dia, será assim. real.
obrigada. muito obrigada.