sexta-feira, agosto 12

desculpem-me!


[desculpem-me a falta de vida...por aqui!
um imenso obrigada e um imenso abraço a todos os que, ainda assim, regressam em silêncio; a todos os que, ainda assim, me escreveram...quando eu não escrevo; nem copio, nem nada! desculpem-me, sim?
setembro trará novamente vida e recordações...]

17 Comments:

Carlos Azevedo said...

Nesse caso, até Setembro!
Abraço.

redonda said...

Estava a sentir a falta de passar por aqui.
Até Setembro e um beijinho
Gábi

Bípede Falante said...

Você segue em férias, Marta?
Beijoss

cs said...

mas que estou com saudades..isso estou:)))

deep said...

Até Setembro! Boas férias. :)

Luis Eme said...

até Setembro, Marta.

tudo de bom.

Terráqueo said...

Aproveite o descanso. Bjs.

jpcoutinho said...

aproveita .... a vida ;-)

TERESA SANTOS said...

Setembro? É já "amanhã"...

Boas férias, óptimos dias de descanso.

Anónimo said...

O SEU BLOG FAZ-ME FALTA!Nãofique tanto tempo sem o actualizar.
Helena

José Campos said...

Até Setembro e boas férias!

C. said...

Quem espera nem sempre desespera. É uma questão de fidelidades.:-))Tenha umas óptimas férias, Marta querida.


Bj

Lisarda said...

Marta, ego te absolvo!
Un abrazo,
Ignacio

josé luís said...

é... tem havido pouca vida em marta... ;(

Marta said...

pois tem, José Luís :( mas os poemas continuam por lá, lindos :)

Ignacio, um abraço. obrigada!

querida C.: um abraço imenso comovido sentido igual a sempre.

obrigada, José Campos :)

desculpe, Helena! obrigada.

pois é Teresa :)

faço por isso, JPCoutinho...;)

um beijo, Marcelo!

obrigada, Luís!

obrigada Deep :)

eu tb estou CS. muitas :)

já terminaram, Lelena :(

eu tb Gabi! e por aí :)

abraço, Carlos!

Marta said...

Pronto!
3 blogs onde tentei deixar um comentário e a resposta é esta:

«A sua conta atual (marta1322@gmail.com) não possui acesso para ver esta página.

Clique em aqui para terminar sessão e mudar de conta.

!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Anónimo said...

Mesmo com a Musa de férias não resisto a vir aqui "respirar", sempre que as nuvens abrem um pouco e consigo encontrar o caminho.
Ao contrário da de Marte a atmosfera aqui, carregada de serena inquietação, ajuda-me a encher a alma.
O poeta das coisas simples
olhou o horizonte e disse:
não há profundidade sem superfície!
Bom repouso.
PMF