sexta-feira, junho 10

porque sim



5 Comments:

deep said...

Eu gosto particularmente da primeira estrofe desta primeira parte do poema.

Bom feriado. :)

fallorca said...

Gremo o «porque sim»; e mainada
Fiufiu...

fallorca said...

«Gramo», seu zarolho (moi)

TERESA SANTOS said...

É sempre bom recordar Cesário Verde.

Caderno de Sociologia said...

Portugal mudou tão pouco desde Cesário Verde!