sábado, janeiro 15

Cantar as Janeiras

[...e não é que estão a cantar as janeiras à minha porta?! :)))]



Sobre tantos Janeiros de nós dois,
Cansou-se a velha lua de sonhar
E, em se indo deitar, surgiu, depois,
Um sol que só nasceu pr`a vir espreitar…

Se, em cantando as Janeiras, tu me dóis,
Se me dóis mais ainda ao não cantar,
Que fazer se, por ti, me nascem sóis
E, enquanto me doeres, eles vão voltar?

Não cantaste as Janeiras… que me importa
Se, amanhã, me vieres bater à porta
Por sentires o vazio de uma saudade?
Olho o céu de Janeiro e fico absorta;

Nem uma estrela brilha, viva ou morta,
E tudo o que promete é tempestade…

Maria João Brito de Sousa

0 Comments: