domingo, agosto 12

E se depois de tantas palavras...

E se depois de tantas palavras,


não sobrevive a palavra!

Se depois das asas dos pássaros,

não sobrevive o pássaro parado!

Mais valeria, na verdade,

que coma tudo e acabemos!



Ter nascido para viver na nossa morte!

Levantar-se do céu rumo à terra

por seus próprios desastres

e espiar o momento de apagar com a sua sombra as suas trevas!

Mas valeria, francamente,

que comam tudo e tanto faz!…



E se depois de tanta história, sucumbirmos,

não já na eternidade,

mas dessas coisas simples, como estar

em casa ou pôr-se a matutar!

E se em seguida descobrirmos,

subitamente, que vivemos,

a avaliar pela altura dos astros,

pelo pente e as nódoas do lenço!

Mais valeria, na verdade,

que comam tudo, sem dúvida!



Dir-se-á que temos

num dos olhos muita pena

e também no outro muita pena

e nos dois, quando olham, muita pena…

Então… Claro!… Então… nem uma só palavra!


César Vallejo


[....escrevias tu, a desejar-me um excelente ano 1993]

4 Comments:

Bípede Falante said...

Marta, que bonito!
Vou levar para o Mínimo Ajuste, tá?
Digo que peguei aqui.
Beijoss

Bípede Falante said...

Quem sabe você leva???
Aguardarei sua resposta.
beijo :)

Marta said...

Lelena,
aqui podes tudo.
não precisas pedir nada.
leva o que quiseres.
bjo

Bípede Falante said...

Então, levarei amanhã :)
Obrigada.
beijo